Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

12 março 2012

Profissão de risco: Professor.



Onde estão os sindicatos de professores que ainda não exigem, no mínimo, um adicional de periculosidade para a categoria?
Outro dia, uma diretora foi chutada pelas costas por um aluno, agora é tapa na cara. Quantos profissionais de ensino são agredidos, verbal e fisicamente, sem que nada ocorrar para de fato punir o adolescente e seus pais ou responsáveis, meramente porque o ECA não permite punição mais rígida, pois pode abalar o emocional desses jovens violentos?
Criança e adoloscente devem ser protegidos, sim, da sanha de molestadores e pais violentos. Mas se para garantir essa proteção, negam a necessidade de reprimir agressões que os jovens praticam contra adultos, o que estamos criando? Futuros delinquentes? É o ó do borogodó!
Vídeo mostra aluna dando tapa no rosto de professora dentro de sala
Agressão foi em uma escola em Coronel Fabriciano. Motivo seria um bilhete apreendido pela professora.
Do G1 MG
Uma professora foi agredida dentro da sala de aula em Coronel Fabriciano, na Região do Vale do Aço, em Minas Gerais. Um vídeo mostra o momento em que uma aluna dá um tapa no rosto da professora.
A agressão aconteceu na Escola Estadual Rotildino Avelino. Um aluno tentou controlar a confusão, mas a agressora ainda deu outro tapa no rosto da professora, ao sair da sala. Segundo a superintendente de ensino de Coronel Fabriciano, Maria do Carmo Silva Melo, a estudante se irritou porque a professora pegou um bilhete que estaria sendo passado pela aluna a uma colega de classe.
O conteúdo do bilhete não foi revelado. A superintendente disse ainda que foram tomadas medidas educativas e que a professora já desculpou a aluna. O Conselho Tutelar disse que vai levar o caso ao conhecimento do Ministério Público.

Nenhum comentário: