Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

26 fevereiro 2012

O Velhinho é CONTRA a descriminalização da maconha!


Por ser contra, por acreditar que usuário de maconha sustenta o trafico de drogas (e não apenas da maconha!), o Velhinho continua a postar as "pequenas" apreensões desse lixo feitas pelos órgãos policiais. Só para se ter uma idéia, EM TONELADAS, do poder "recreativo" e "medicinal" da maconha em nosso país.
Pode demorar alguns dias, talvez, poucas semanas, mas não falha. Quando o uso "recreativo e medicial" da maconha sensibiliza traficantes, eles nem pensam na grana dos usuários que sustenta o narcotráfico, não é mesmo?
Dise de Campinas apreende 6,5 toneladas de maconha na Grande SP
Droga, trazida do Paraguai, estava em uma carvoaria em Mairiporã.
A Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise) de Campinas, interior de São Paulo, apreendeu seis toneladas e meia de maconha na madrugada deste domingo (26) em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo. Cinco pessoas, incluindo uma mulher, foram presas pelos policiais, que investigavam os traficantes há sete meses. Com as prisões, a polícia acredita ter desmantelado um dos maiores esquemas de tráfico no Estado de São Paulo, já que o entorpecente trazido do Paraguai abastecia parte do interior e do litoral paulista.
A droga estava em uma carvoaria na Estrada do Convento, que servia de fachada para os traficantes, segundo o delegado titular da Dise de Campinas, Oswaldo Diez Júnior. Os pacotes com os entorpecentes estavam em um caminhão, forrado com carvão. As inscrições nas embalagens da droga indicam que a origem é do Paraguai. Entre os presos estão dois irmãos, considerados pela polícia os chefes da quadrilha.
"Conseguimos prender os chefes e o pessoal da comercialização", diz Diez Júnior. Segundo o delegado, a quadrilha fazia uma espécie de consórcio da droga, trazendo o produto de toneladas do Paraguai e distribuindo de acordo com os pedidos feitos pelos traficantes nas regiões atendidas.
A Rota
Segundo o delegado, depois de chegar ao Brasil, o entorpecente passava por Ponta Porã, Campo Grande e Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul. Já no Estado de São Paulo, o itinerário incluia Miriporã, Araçatuba e Botucatu. Ainda segundo a polícia, para chegar até a Grande São Paulo, a droga passava por rodovias como a Castelo Branco e a Régis Bittencourt. Para se garantir, a quadrilha mandava um pessoal antes de carro pelas estradas, para informar sobre a presença da polícia.

7 comentários:

Anônimo disse...

lembrando que quem inventou e criou o trafico ilegal é o estado através das leis, e não o usuario, este sim existe antes da proibição, só para te orientar no texto. Deu para ver que não sabes muito do que fala, Mas tudo bem, eu entendo que é só uma satisfação para o ego poder falar de tudo como se soubesse o que está falando.

Velhinho Rabugento disse...

O anônimo pretende me orientar, né? O Estado não criou ou inventou o tráfico de drogas (ilegal é redundância!), mas sim criou as leis que definiram o que seria legal e ilegal; isto definido, usuário ou não é quem decide que segue a lei ou a viola, seja adquirindo droga ilícita E ALIMENTANDO O TRÁFICO, seja traficando. As opiniões que posto são meramente aquilo que entendo, e você pode concordar ou não; só não queira, caro petiz, tentar me tomar pela mão para mostrar um caminho, como se a sua visão fosse expressão da verdade, uma vez que não reconheço sua capacidade para tanto; não queira, também, esbanjar imbecilidades, pois isso me ativa o id, o ego e o superego a corroborar que existem aqueles cuja mediocridade os impede de argumentar de maneira razoavelmente lógica. Aprenda a debater, petiz...

Anônimo disse...

Você ė contra a descriminalização porque os usuários sustentam o tráfico? Isso não faz muito sentido. A descriminalização iria justamente acabar com o tráfico, a venda seria feita de forma mais responsável, inclusive com arrecadação de impostos. Regularizar significa ter controle. eu posso comprar maconha com mais facilidade do que comprar um remédio de tarja-preta sem ter prescrição médica. Enfim... São milhoes de variáveis envolvidas que vão muito além do discurso tanto do Estado quanto dos maconheiros. mas tenha certeza de uma coisa: o principal prejudicado pela legalização seria o próprio traficante. Isto é lógico

Velhinho Rabugento disse...

Caro anônimo, caso tenha paciência, sugiro que leia outra postagem, mais antiga, que fiz sobre o tema: http://recantodovelhinhorabugento.blogspot.com.br/2011/01/maneira-mais-facil-de-resolver-um.html

Anônimo disse...

dei uma lida - de fato é evidente que a proibição é dada por fatores econômicos - da maconha principalmente, até por que o cânhamo tem uma larga utilidade industrial (inclusive algum dos ex-presidentes americanos chegou a ter uma plantação). Se você for olhar a Carta Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão - o 4 artigo expressa que nenhuma lei de reger sobre o espaço individual de cada pessoa. Ou seja, Qualquer pessoa poderia teoricamente fazer o que quisesse, desde que não afetasse os demais. Proibir o camarada de fumar maconha já vai contra isso. E de fato, por que o álcool, que gera maior dano físico e social, é legalizado? Por que está enraizado culturalmente? O problema é que o próprio tráfico acabou se enraizando. Nas favelas cariocas, a única brecha para escoar dinheiro para os morros é o tráfico. No que legalizassem, os traficantes iam ter que procurar outra fonte de renda, e provavelmente a violência urbana iria explodir. Na Califórnia a maconha foi liberada para uso medicinal - as indústrias de cerveja e farmacêutica entraram com lobby (lá é permitido) para tentar voltar à proibição. Enfim, muitas variáveis - eu, no ápice dos meus 26 anos de idade, pretendo continuar fumando minha erva pois acho que assim estou preservando minha saúde - visto que, como é normal entre os maconheiros - parei de consumir álcool. Te garanto que foi uma melhora significativa na minha qualidade de vida.
Abs

Velhinho Rabugento disse...

Pois é, caro anônimo. Se o cânhamo tem largo uso industrial, não seria esta a destinação das TONELADAS maconha apreendidas nas postagens que fiz. De fato, faz parte do corpo legal brasileiro acerca da inviolabilidade do domicílio e se você cultivasse maconha no quintal de sua residência para o próprio consumo, como eu cultivo agrião e couve, eu não veria problema. Mas você precisaria de toneladas da cannabis? Por outro lado, comparar o tráfico enraizado em favelas (e não é só nelas!) com bebidas alcoólicas como se fossem a mesma representação de tradição cultural é sofismar. Falar da Califórnia ou da Dinamarca é tratar exceções (que podem deixar de existir a qualquer tempo) como regra que não existe para a maioria dos países. Caro anônimo, fazemos as escolhas que julgamos corretas para nossas vidas. Você continuará favorável à legalização da maconha e eu continuarei contrário. Faz parte da liberdade de pensamento e expressão.

Velhinho Rabugento disse...

Um tal Walter Hauer deixou um comentário sobre esta postagem, mas não será publicada para não dar propaganda ao site que o sujeito indica. Contudo publico a escrita arrogante do indivíduo com a devida resposta.

"Velhinho rabu no gento, por que você quer que o crime organizado fique com o lucro? Para financiar campanhas políticas,corromper os sistemas de segurança, pagar advogados que são receptores do dinheiro do crime? Em qual você leva o teu? Sou velhinho também, só que eu penso que Deus não é burro como você. Veja o blog XXXXXXXXXXXX e veja como é trabalhar com a verdade, e se divertir com ela".

Comentário do Velhinho: Para começar, ô petiz, dizer que você é "velhinho também" não infere que tenha caráter. Pela sua escrita, o que lhe abunda é má educação para suprir a escassez argumentativa. Como você NÃO leu o que escrevi, acredita que devo levar alguma vantagem do crime organizado.Você acaso está a me imputar a prática de um crime? Ou fala de sua própria experiência, quiçá de suas expectativas? O que teria a ver Deus com seus maus bofes, sujeito? Tenha a gentileza de ficar com a sua "verdade" trabalhada e com sua diversão onanista para si.