Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

23 setembro 2011

Afro-brasileiro uma pinóia...
Filho de um mulato com uma açoriana, Machado de Assis foi um legítimo mestiço brasileiro. Essa turma do "politicamente correto" está emburrecendo o país! Se pretendem honestidade quanto a ascendência de Machado, digam então que ele era, em última instância, afro-luso-descendente! Ainda assim, o Velhinho prefere identificar Machado como um mestiço brasileiro.
Curioso, aqueles que acusam a existência de racismo são justamente os que não aceitam a existência apenas da raça humana! Há que ter as raças determinadas pela cor da pele. É ou não é um pensamento de quem quer perpetuar o racismo colonial?

15 setembro 2011


Muito tributo, excesso de propaganda governamental e pouca cidadania...
Pagar tributos é um dos deveres do cidadão que tem expectativa da contrapartida do Estado (leia-se governantes), cujo dever é prover para a sociedade em geral Saúde, Segurança, Educação, Trabalho, Moradia e Transporte em quantidade e qualidade suficientes para realizar o bem estar social, além de manter as estruturas das instituições democráticas que deveriam sustentar ideais éticos e morais aceitos pela maioria dos brasileiros.
A partir do momento em que o dinheiro destinado ao pagamento de tributo sai do bolso do contribuinte até se converter e ações e realizações naquelas áreas de contrapartida, por obra e graça da CORRUPÇÃO e da IMPUNIDADE, milhões de reais de recursos públicos são desviados como comprovam denúncias que vieram a público desde o arvorecer da República no Brasil.
A corrupção envolve ocupantes de cargos eletivos e de cargos de confiança, dentro de governos e de partidos políticos, além, claro!, de pessoas da iniciatva privada (inclusive no sentido de receptáculo de excrementos) que almejam ganhar além do que deveriam às custas do erário público, portanto e em última instância, do contribuinte.
A carga tributária no pais é imensa se comparada à contrapartida oferecida pelo Estado. Há ainda políticos que querem o financiamento público de campanhas políticas, como se nós, contribuintes, já não as financiassem. Existem também os que pretendem que deixemos, mesmo que parcialmente, de votar diretamente, defendendo o voto em lista, como se hoje já não tivéssemos sonegado o voto quando elegemos, por exemplo, um senador e um suplente, um outro político qualquer que sequer foi eleito, assume o cargo e função no caso de afastamento do titular. Para essas aberrações todos se falam e ninguém pretende corrigir.
Com tantos problemas sérios para se resolver, e poderíamos ficar apenas na Saúde, Educação e Segurança, se decide que o melhor investimento a ser feito no Brasil é a Copa Mundial de Futebol e um trem-bala. Como se melhores estádios e uma ligação mais rápida entre São Paulo e Rio de Janeiro viessem a diminuir a fome e a pobreza do Brasil. É um insulto ao suor derramado por cada contribuinte para pagar seu caro tributo de cada dia!
Mas a responsabilidade desse estado de coisas também é nossa, de cada cidadão, eleitor e contribuinte, pois foram nossas escolhas nos pleitos anteriores que levaram essas pessoas, talvez não tão capacitadas, para administrar os recursos da Nação; foram nossas escolhas que colocaram políticos que, se não são corruptos, flertam com quem o é, e logo, com a corrupção, até defendendo o indefensável com base naquelas frases já conhecidas: "eu não sabia", "o povo está do nosso lado", "sou uma pessoa de moral ilibada" e, claro!, "a culpa é da imprensa".
Uma hora o cidadão, eleitor e contribuinte cansará de pagar tanto tributo, de ver tanto desperdício de dinheiro público e tanta corrupção.
Já passou da hora. A hora é agora, antes das próximas eleições.
Acorda, Zé Povinho!!!

13 setembro 2011

03 setembro 2011

Piada que faz chorar e ranger os dentes...
Vai completar 10 anos, dormindo nos braços de nossos legisladores...
Como atinge o bolso do consumidor e a voracidade das concecionárias de telefonia, serve bem de exemplo de como nos enganam aqueles parlamentares que sorriem para o eleitor na hora do voto, para depois das eleições tratá-lo como se palhaço fosse.
Trata-se da PL 5476/2001, cujo teor transcrevo em negrito
Projeto de Lei
Autor: Marcelo Teixeira - PMDB/CE
Apresentação:  03/10/2001
Ementa: Modifica a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, determinando que a estrutura tarifária dos serviços de telefonia fixa comutada, prestados em regime público, seja formada apenas pela remuneração das ligações efetuadas.
Explicação da Ementa: Dispõe que o assinante pagará apenas a quantidade de pulso e minuto efetivamente utilizado; proíbe a cobrança de assinatura básica.
Forma de Apreciação: Proposição Sujeita à Apreciação do Plenário
Regime de Tramitação: Ordinária
Despacho atual: 30/03/2005 - Constitua-se Comissão Especial, nos termos do artigo 34, II do RI, a ser integradas pelas seguintes Comissões:
Defesa do Consumidor; Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio; Trabalho, de Administração e Serviço Público; Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e Constituição e Justiça e de Cidadania (Art. 54 RICD)
Apensados ao PL 5476/2001 (18)
PL 5559/2001 ;  PL 6064/2002 ;  PL 7113/2002 ;  PL 363/2003 ;  PL 6774/2002 ;  PL 2691/2003 ;  PL 2743/2003 (2) ,  PL 4813/2009 ,  PL 1683/2011 ;  PL 2973/2004 ;  PL 5388/2005 ;  PL 5731/2005 ;  PL 6144/2005 ;  PL 6865/2002 ;  PL 6777/2010 ;  PL 1351/2011 ;  PL 1630/2011 ;  PL 1789/2011
A última movimentação, desde 2001 é de 30/08/2011:
PLENÁRIO (PLEN )
Apresentação do Requerimento de Constituição de Comissão Especial de Projeto n. 3016/2011, pelo Deputado Jorginho Mello (PSDB-SC), que: "Requer a criação de Comissão Especial destinada a analisar o Projeto de Lei nº 5.476, de 2001".
Agora você, cidadão, eleitor e contribuinte, pegue sua conta telefônica e calcule, desde outubro de 2001, quanto pagou na cobrança da assinatura básica. Depois aplique, mês a mês, o índice de correção da poupança e veja quando poderia ter economizado.
Por último, pegue seu telefone e ligue para seu deputado federal, ou escreva-lhe um e-mail cobrando a aprovação desse projeto de lei. Lembre-lhe que seu voto o colocou onde está e que independente do que fizer, sempre será lembrado em próximo pleito... para se votar ou não!
Quem sabe funciona?

01 setembro 2011

Tem parlamentar que precisa ser protegido do povo, ora vejam...

Vejamos o que dizem alguns dos representantes do eleitor, da sociedade, na Câmara do Deputados do Congresso Nacional.

O líder do PSDB, Duarte Nogueira (SP), defendeu o voto secreto, que, para ele, "preserva o direito do parlamentar de votar sobre um próprio par seu".
"No caso de cassação de mandato, você vai ter de tomar uma decisão que é suprimir o que há de mais importante para o parlamentar que é o mandato. No voto secreto, você preserva o direito do parlamentar de votar sobre um próprio par seu. Eu não defendo deixar voto aberto. Eu não fui convencido por isso", disse Nogueira.
Comentário do Velhinho: Um processo de cassação visa suprimir não um mero mandato parlamentar. Acima de tudo, visa suprimir da Casa Legislativa a falta de decoro e ética, a falta de probidade e de postura exemplar que DEVERIA TER qualquer parlamentar eleito. Não importa que o deslize, se é que pode assim se chamar, ocorreu antes ou durante o mandato. Comprovado o fato que macula, etica e moralmente, a imagem do parlamentar a questão que se impõe é a falta de decoro é aceita naquela casa do povo. Ora, ao defender o voto secreto para um assunto que importa à totalidade da população brasileira, o líder do PSDB não está protegendo o Legislativo nem própria imagem ou de seus pares. Essa explicação é uma forma elegante de dizer, como já disseram explicitamente, "eu quero que o eleitor se lixe"!

Henrique Eduardo Alves (RN), lider do PMDB, segunda maior bancada na Câmara, com 80 deputados,disse que não tem opinião formada e que precisa "pensar melhor sobre o assunto".
"Existem prós e contras nos dois casos, no voto aberto e no voto secreto. No voto aberto, você pode ser direcionado, às vezes pela orientação do partido, ou pressionado mesmo. Vou pensar mais sobre isso. Voto secreto muitas vezes é direito de parlamentar se proteger", defendeu.
Comentário do Velhinho: O líder do PMDB, deveria refletir sobre quem, na Câmara dos Deputados, protege os cidadãos, eleitores e contribuintes, daquele parlamentar indigno do mandato. A proteção natural de qualquer parlamentar é NÃO INCORRER em ato que fira o decoro parlamentar. Por certo que receber propina, antes ou depois de eleito para a Casa Legislativa não contribue para a probidade necessária ao cargo e função. O que há para pensar, caro senhor?

Para ACM Neto (BA), líder do DEM, há situações em que o voto secreto é "válido", mas, em processos de cassação, ele julga que não.
"No processo de cassação é diferente, porque o eleitor tem o direito de saber qual a posição do seu representante. A questão da cassação é questão interna, é julgamento político-jurídico. Então, entendo que, nesses casos, o voto pode ser aberto", afirmou.
Comentário do Velhinho: A rigor, o único voto secreto válido é o do cidadão, eleitor e contribuinte. Aos representantes do povo eleitos, para qualquer matéria caberia sempre o voto aberto, uma vez que o eleitor QUER SABER SIM, como vota seu parlamentar.

O líder do PT na Câmara, Paulo Teixeira (SP), disse que a questão não está consolidada dentro da bancada, mas que, como líder, defende o voto aberto em processos que julgam perda de mandato.
Teixeira afirmou que pretende apresentar um projeto a fim de transferir para a competência do Supremo Tribunal Federal (STF) o julgamento de processos de cassação como o de Jaqueline Roriz.
Comentário do Velhinho: O líder do PT não pode opinar pelos deputados de sua bancada, por óbvio. Bastaria o PT DETERMINAR aos seus deputados que defendam o voto aberto. Já seria grande coisa, pois não? Estaria de acordo com aquela bandeira, há muito esquecida, da moralidade na política. Quanto a sugestão da transferência de responsabilidade do processo de cassação de um deputado para o STF, é algo de uma bizzaria inacreditável! Essa proposta subverte a base de nossa democracia que é a INDEPENDÊNCIA entre os Três Poderes. Tenha dó, Deputado! Há que assumir sua responsabilidade: cassar aquele(a) que quebrar o decoro parlamentar e, em havendo crime comprovado, acionar a Justiça que, se for o caso, chegará naturalmente e pelas vias legais ao STF. SEM PRECISAR DESVIRTUAR A ORDEM DEMOCRÁTICA!

O também petista Cândido Vaccarezza (SP), líder do governo na Câmara, por exemplo, se disse "radicalmente contra" o voto aberto em processos de cassação.
Comentário do Velhinho: A explicação desse senhor está em outra matéria do G1: "Não serão meus eleitores que irão me pressionar, você não tem controle. Se fossem, eu acho correto. Mas serão aqueles que poderão ter mais acesso ao debate na sociedade".
Pleclaro (?) Deputado, não só os seus eleitores devem lhe pressionar, como toda a, como dizem, sociedade organizada! O senhor não representa meramente os interesses de seu partido, mas de todos os cidadãos, no mínimo, do Estado que representa. Vergonhosa sua explicação.

Líderes do PPS, Rubens Bueno (PR), do PR, Lincoln Portela (MG), e do PDT, Giovanni Queiroz defenderam o voto aberto como forma de garantir transparência para a Casa. Para Portela, o fim do sigilo expõe o parlamentar a pressões, mas o parlamentar deve prestar contas ao eleitor.
"Concordo que deixa o político mais vulnerável, mas é um risco que a gente corre. Somos representantes do povo e há apelo para que o voto seja aberto", afirmou Portela.
O líder do PP, Aguinaldo Ribeiro (PB), afirmou ser favorável ao voto aberto em processos de cassação, como o de Jaqueline Roriz, mas afirmou que a questão não foi discutida com a bancada.
O líder do PDT, Giovanni Queiroz (PA), disse ser contra o voto secreto. Segundo ele, "a opinião e o voto do deputado devem ser expostos. O eleitor tem o direito de saber como o seu representante vota".
O líder do PRB, Vitor Paulo (RJ), disse que o partido só terá posição definida sobre o voto secreto na próxima semana.
Comentário do Velhinho: quanto tempo existe o partido desse senhor? Há um mês? Ainda não tem uma posição formada? Estarrecedor!

O representante da bancada do PSL, Dr. Grilo (MG), disse ser favorável ao voto secreto para que o parlamentar seja "protegido do julgamento popular".
Comentário do Velhinho: Como assim, caro senhor? A população não pode lhe julgar como homem PÚBLICO? E quem protege a população de um parlamentar que quebra o decoro, sem ética e probidade para exercer o mandato de Deputado Federal?

Por essas e muitas outras que digo não me envergonhar de ser brasileiro, mas me envergonho de muitos políticos que por aí estão!
VERGONHA NACIONAL...

...cujo exemplo parte de Brasília e se desdobra por sobre Assembléias Legislativas e Câmaras de Vereadores pelo Brasil afora!