Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

20 dezembro 2011

Como é que é?





O Velhinho nem sempre concorda com determinadas decisões e resultados da Justiça, como essas apresentadas na charge, contudo há que se fazer alguns reparos ao que nos é apresentado, a começar pelo trecho do Hino Nacional.
A letra diz "Mas, se ERGUES da justiça a clava forte" e não "erguem"; digamos que seja uma licença poética do chargista para dar sentido à charge, resta o entendimento de que a responsabilidade é exclusiva do Poder Judiciário. 
Isso não é verdadeiro, uma vez que as decisões dos juízes são baseadas no arcabouço legal provido pelo Poder Legislativo. 
Nem me venham com aquela estória de que esses Poderes estão submissos à "elite retrógrada" ou à "direita raivosa". Temos já há 9 anos um partido considerado de "esquerda" no poder e nem o Poder Executivo, nem as bancadas a ele alinhadas no Congresso Nacional alteraram ou criaram leis que viessem a permitir uma atuação do Judiciário diferente da que existe.
E muito bonitinho que ainda posa de esquerdista, faz parte da chamada elite, seja por estar próximo ao poder político, ou por manipular as massas (que se travestem de "movimentos sociais"), ou pela própria condição financeira.
Além disso, o trecho pinçado do Hino Nacional tem um significado próprio: Se o Brasil erguer a clava - que é forte - da justiça, o fará ao se sentir ameaçado por outro país, para defender seu território e soberania.
A sequência da estrofe diz:
"Verás que um filho teu não foge à luta,
Nem teme, quem te adora, a própria morte."
Ou seja, caso ocorra a declaração de guerra, os brasileiros - um filho teu, Brasil! - defenderá sua pátria, não temendo morrer nessa defesa.
Claro que em tempos de " os menino pega os peixe", pode ser uma árdua e infrutífera tarefa compreender a letra do Hino Nacional e distinguir quem é responsável pelo quê, os limites e, principalmente, direitos E deveres...

Nenhum comentário: