Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

06 janeiro 2011

Disco riscado...
Quem ainda lembra dos discos 78 rpm, feitos de goma-laca, vai entender.
Aqueles discos, quando sofriam um risco transversal no sentido de suas ranhuras, faziam com que a agulha da eletrola (pois é, eletrola!) pulassem para o mesmo sulco que acabara de passar. O resultado era a repetição infindável do mesmo trecho da música. A cacofonia somente terminava quando uma alma caridosa dava um pequeno toque com o dedo no braço da agulha.
A exemplo de seu antecessor, a atual Presidente da República mantém a tendência do disco riscado. Foi assim com o programa Fome Zero, que visava erradicar a fome no Brasil; passados os dois mandatos de Lula, parece que a erradicação falhou, uma vez que ainda existe famintos no interior de nossas fronteiras.
Provavelmente sucederá o mesmo com esse modelo de PAC para erradicar a miséria.
Porque disco riscado? Ora, isso foi promessa de campanha, apareceu no discurso de posse da atual Presidente da República e agora volta no anúncio - é de pasmar! - de uma reunião de ministros coordenada pela Presidente, para organizar um programa de erradicação da miséria que ainda não existe de fato e nem tem previsão de verba.
É o mais do menos!
Alguém do atual governo poderia ter a decência de vir a público somente quando o tal plano estivesse estruturado, com as competências, metas, cronograma, recursos e verba definidos. Seria muito mais produtivo e honesto, pois não?
Por enquanto, o que temos é a repetição cacofônica de uma promessa de campanha. Nada além disso.
Entretanto, ora, vamos divulgar que a promessa continua de pé, não é?
E durma-se com o barulho desse continuísmo...

Nenhum comentário: