Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

12 agosto 2009

Procura-se Senadores e Senadoras sem medo de ventilador...A matéria é do Estadão on line. Só se tem a lamentar.

Sai acordo entre PT e oposição pelo fim da crise
Articulação do pacto para encerrar conflito no Senado é comandada por Sérgio Guerra, Mercadante e Jucá
Sob ataque do grupo do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que é comandado pelo peemedebista Renan Calheiros (AL), a oposição fechou ontem um acordo com os líderes da base aliada do governo. Pelo acordo, a oposição encerrou a guerra dos discursos no plenário, o que devolve a Sarney as condições políticas para presidir a Casa.
O acordo prevê também que todas as questões jurídicas e disputas políticas em torno das representações contra Sarney e o líder dos tucanos, Arthur Virgílio (AM), ficam circunscritas ao Conselho de Ética. Não há mais espaço político para fazer acusações a Sarney no plenário - o que minava a autoridade do presidente da Casa. Quem for derrotado no Conselho de Ética também não vai recorrer ao plenário.
"Ninguém pode cobrar de ninguém um acordo de mérito, mas podemos definir um acerto de procedimento e encerrar tudo no Conselho de Ética, sem contaminar o plenário", disse o líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), ao explicar o entendimento.
O sinal mais evidente de que a oposição depôs as armas e parou de acuar Sarney no plenário foi o tom dos discursos tucanos feitos ontem à tarde.
Tal como fora acertado no almoço da bancada do PSDB poucas horas antes, em seu gabinete, Tasso Jereissati (CE) subiu à tribuna e falou em tom moderado e conciliador. Tasso desculpou-se pelo bate-boca da semana passada, quando chamou Renan de "cangaceiro de terceira categoria" e ganhou de volta um "coronel de merda". O tucano afirmou ter certeza de que "aquele episódio foi superado" e o diálogo será recuperado. "Vou fazer o possível para que não se repita o que aconteceu."
Atento a cada palavra do tucano, o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) lamentou. "O que me preocupa é que, diante da brutalidade, a paz é sinônimo de covardia." Tasso destacou, no entanto, que continuará sua luta contra o que chamou de "indignidade da existência de tropas de choque, de posições menores".
Sérgio Guerra (PE), presidente dos PSDB, disse que é preciso moderar palavras e evitar adjetivos. "Ou vamos todos afundar, no plural." Guerra declarou ainda que, se o clima beligerante prevalecer, não será candidato a mais nada, revelando a preocupação que tomou conta do Senado depois do embate da semana passada. "Tenho a certeza de que o povo não vota mais em nenhum de nós", afirmou, referindo-se ao termo geral de uma campanha do tipo "não vote em senador para o Senado".

Comentário do Velhinho: Não existe mais Oposição no Brasil. Assim como, aparentemente, não existem senadores ou senadoras que possam ficar perto de um ventilador. Porque se ligam o ventilador...
Ligaram o ventilador no Senado através de uma chamada tropa de choque. A Oposição recuou.
A pergunta que não quer calar: Recuaram por medo de quê? De algo que ameaçam denunciar aparecer?
Ora, senhores senadores e senhoras senadoras, a população, o Eleitor e Contribuinte querem saber de tudo. O que se teme? Existe algo a temer? Se não há nada a temer, por qual razão, resguardados pela imunidade parlamentar que lhes dá uma liberdade de expressão e opinião que a maioria da população não tem, não começam a ouvir as denúncias e igualmente, se de algo grave souberem, denunciar?
Receio das próximas eleições? De perderem votos os que pretendem se reeleger?
Perderam a OPORTUNIDADE de comprovar para a Nação que os senhores e senhoras, realmente, nada devem. Qual a moral e a estória de vida dos senhores e senhoras e, realmente ilibada.
Perderam votos, acreditem!
Meu saudoso pai recomendava: Se você estiver errado, abaixe a cabeça. Mas não muito, porque senão o fiofó aparece!

Nenhum comentário: