Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

01 julho 2009

O Velhinho já sabe. Na democracia libertária do Irã, ninguém deve intervir....
A matéria está no YAHOO Notícias:
Irã pede que Interpol capture médico que ajudou jovem baleada
Qua, 01 Jul, 07h09
Teerã, 1 jul (EFE).- As autoridades iranianas enviaram à Interpol uma ordem de busca e captura contra o médico iraniano Arash Hejazi, que ajudou a jovem Neda Agha Sultan, após receber um tiro em uma das manifestações de protesto contra a reeleição do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad.
"A Interpol e as forças do Ministério de Inteligência já estão perseguindo Hejazi", disse hoje o comandante de Polícia no Irã, general Ismail Ahmadi Moghadam, citado pela agência local de notícias "Fars".
"É procurado porque, como testemunha, criou confusão. O assassinato (de Neda) é algo organizado que não está relacionado com os distúrbios em Teerã", disse o oficial.
Neda Agha Sultan se transformou em ícone dos protestos após as eleições presidenciais no Irã depois que sua agonia nas ruas de Teerã foi gravada com um telefone celular e deu a volta ao mundo graças à internet.
A família da jovem e testemunhas denunciaram que ela foi atingida a sangue frio por forças de segurança iranianas ou por milicianos islâmicos Basij quando caminhava com o pai em direção a uma das manifestações pacíficas convocadas na capital.
Hejazi, que viajou a Londres após a morte de Neda, é o homem que aparece na imagem tentando ajudar jovem, após ela receber um tiro no peito.
Logo após chegar à capital britânica, disse que a jovem, de 26 anos, tinha sido assassinada pelas forças da ordem e que, após ver o vídeo na internet, decidiu retornar a Londres, porque temia pela própria vida.
Hejazi, que mora em Oxford, é o único tradutor para o persa das obras do escritor Paulo Coelho.
O regime iraniano, que acusa o Ocidente de promover os distúrbios pós-eleitorais, sugeriu que a morte de Neda foi "fabricada" por alguns meios de comunicação estrangeiros.
Ahmadinejad anunciou na segunda-feira que tinha pedido ao Poder Judiciário que investigasse a "misteriosa" morte da jovem estudante. EFE
Comentário do Velhinho: De que acusam mesmo o médico Arash Hejazi? De ser testemunha de um crime? De causar confusão? Ou estão sugerindo que ele é partícipe de um complô contra o Irã que envolveria um assassinato supostamente forjado para prejudicar o presidente eleito em uma eleição reconhecidamente adulterada e não cancelada? Acho que o amigo do Paulo Coelho deve pedir rapidinho asilo político, pois se voltar ao Irã, pode não suportar o tamanho da democracia de Ahmadinejad, esse libertário enaltecido pelo presidente Lula sem constrangimento algum.

Nenhum comentário: