Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

25 julho 2009

Mais uma vez, nunca antes tantas vezes seguidas "nestepaíz", se fica de quatro...A matéria é do G1:

No Paraguai, Lula e Lugo anunciam acordo sobre energia de Itaipu
Brasil vai pagar US$ 360 milhões ao ano, o triplo do que paga.
Presidente brasileiro considerou acordo como 'histórico'.

Do G1, em Brasília e em São Paulo

Reunidos em Assunção, no Paraguai, os presidentes do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, e do Paraguai, Fernando Lugo, anunciaram neste sábado (25) um acordo sobre a exploração da hidrelétrica de Itaipu, na fronteira entre os dois países.
Pelo acordo, o Brasil, que já paga US$ 120 milhões anuais pela energia de Itaipu, passará a pagar US$ 360 milhões anualmente. Para ser firmado, o acordo precisa ser aprovado pelos Congressos dos dois países.
Em discurso após o anúncio, o presidente Lula considerou o acordo como "histórico". "Estou convencido que esse é acordo histórico entre nós", afirmou o brasileiro ao paraguaio.
A discussão sobre o preço pago pelo Brasil pela energia de Itaipu foi um dos temas da campanha eleitoral de Lugo no ano passado.
O acordo oficializado neste sábado prevê ainda que o Paraguai tenha acesso privilegiado ao mercado brasileiro. O Brasil se compromete ainda a financiar projetos de infra-estrutura no Paraguai.
Em seu discurso, Lula diz que o Brasil quer os outros países da região se desenvolvam. "Ao Brasil não intessa que o Brasil se desenvolva se outros não crescerem nem se desenvolverem. Não faltaram brasileiros que queriam que endurecêssemos", disse.
Para o brasileiro, o acordo melhora a relação entre Brasil e Paraguai. "Confirma que estamos de forma responsável tratando de melhorar as relações entre os países. Você já leu ou escutou em centenas de discursos que faço pelo mundo de que a integração da América do Sul e da América Latina passa sobretudo pela boa qualidade das relações bilaterais dos países."

O contrato
A hidrelétrica de Itaipu foi criada em 1973, mas so começou a gerar energia em 1984. Ela abastece 20% do território brasileiro.
Para a construição, o Paraguai obteve empréstimos com o Brasil e os dois se tornaram sócios. O resultado foi uma dívida de US$ 18 bilhões, a ser paga até 2023.
Como o Brasil pagou mais pelo projeto, tinha privilégios no acordo inicial. O Paraguai tinha direito a 50% da energia gerada, mas como não precisa de todo esse montante, acaba usando apenas 5% e repassava a preço de custo os 45% restantes para a Eletrobrás.

Comentário do Velhinho:
Não há dúvida de que o acordo é histórico. Nem reconhece que o tratado inicial poderia conter erros (e não reconhece porque não houve erros), nem permite que o Paraguai venda parte de seu excedente de energia elétrica produzida para outros países vizinhos.
Antes, triplica o preço da energia que é comprada pelo Brasil ao Paraguai.
Tradução para isso: O Brasil pagara mais caro pela energia elétrica comprada ao Paraguai.
Tradução melhor: O consumidor brasileiro arcará com os custos da dobrada de joelhos de Lula perante Lugo.
Depende agora do Congresso Nacional de ambos os países.
Quem poderá contar com o Congresso Brasileiro para defender o contribuinte brasileiro? Os paraguaios?
O Velhinho não vê nada de mais, é já escreveu isso aqui, que o Brasil ajude países, seja da América Latina ou de África, ou até da Europa, ou da Ásia, DESDE QUE ANTES SE RESOLVAM AS DIFICULDADES INTERNAS DO BRASIL.
Temos uma carga tributária das mais altas do mundo, como se fôssemos uma país ultradesenvolvido - do chamado "Primeiro Mundo". Mas a contrapartida do Governo em serviços prestados à população (Educação, Saúde, Transporte, Emprego, Moradia, Segurança, Saneamento Básico, etc.) é de "Quarto Mundo".
Não é com o PAC empacado e se emprestando a rodo dinheiro do BNDES e fazendo acordos entreguistas como o da Petrobrás, com relação à Bolívia e agora o de Itaipú, com relação ao Paraguai, que RESOLVEREMOS NOSSOS PROBLEMAS PRIMEIRO, PARA DEPOIS RESOLVER OS DOS OUTROS.
"Caridade" com o bolso dos contribuintes é fácil, senhor presidente.
Toda essa dinheirama seria melhor empregada dentro dos limites territoriais do Brasil. Ou não?
Por isso que começa a dar raiva pagar imposto.
Pelo descalabro da malversação do dinheiro público, pela falta de controle das Instituições sobre como, efetivamente, se gasta o dinheiro do contribuinte, pelos escândalos seguidos no Congresso Nacional e o sabor amargo da impunidade que resta.
E durma-se com um barulho desse....

Nenhum comentário: