Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

27 julho 2009

Falta...A matéria é do yahoonotícias:

Sarney é o senador que mais faltou neste ano, diz site

Envolvido em uma série de suspeitas de irregularidades, que vão do tráfico de influência para nomear parentes ao uso de atos secretos e desvio de verbas públicas, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), foi o senador mais faltoso às sessões deliberativas do Senado no primeiro semestre. De acordo com levantamento feito pelo portal "Congresso em Foco", das 60 sessões, Sarney faltou a 17, quase um terço. O senador mais assíduo foi Epitácio Cafeteira (PTB-MA), que apesar dos 85 anos e de ter dificuldades de locomoção, apareceu em todas as votações.
Se tivesse faltado a mais três sessões apenas, Sarney poderia responder a processo de perda de mandato - penalidade prevista pelo artigo 55 da Constituição (item III), mas pouca acionada. De acordo com a norma constitucional, perderá o mandato o deputado ou o senador que faltar à terça parte das sessões ordinárias da Casa a que pertencer, salvo licença ou missão por esta autorizada. Até hoje, a punição foi aplicada em apenas dois casos. Em 1990, os então deputados Mário Bouchardet (PMDB-MG) e Felipe Cheidde (PMDB-SP) foram cassados por gazeta. Desde então, os parlamentares sempre justificam suas faltas e escapam dos processos.
O presidente do Senado, segundo assessores, tem muitas faltas em decorrência de compromissos fora do Congresso. Integrante da Academia Brasileira de Letras (ABL), Sarney costuma ir ao Rio de Janeiro às quintas-feiras para participar do tradicional chá das 15 horas. Agripino disse que estava surpreso por aparecer em terceiro lugar. Acha que pode ter havido algum erro na hora do registro da presença, pois se considera um dos mais assíduos.

Comentário do Velhinho:

Falta é vergonha na cara, tanto de políticos, quanto de quem os elege. Essa é a verdade.
De quem os elege, porque votam em quem sabem não poder confiar. Que se dê o beneplácito da dúvida: quando votaram, não sabiam que não podiam confiar, souberam depois. Ainda assim, deixam de cobrar postura adequada, ética, pelo voto dado. Não há como se eximir da responsabilidade.
Dos políticos, bem, nem é preciso desenhar, não é? No mínimo se espera que um político eleito - um deputado federal, um senador ou outro qualquer - que dê prioridade para a coisa pública, razão de haver se candidatado, ao invés de seus compromissos privados.
A verdade é que se candidatam pela coisa pública, porém para usufruí-la e, se conseguirem, transformá-la em algo privado.
No caso em pauta, ou bem o senador dá prioridade a desempenhar seu papel representativo do povo que o elegeu, em benefício do Brasil como um todo, ou renuncia e vai cuidar de seu fardão na Academia Brasileira de Letras e tomar seu chá com bolo. Quem sabe até se dedicar a uma nova obra literária.
O próprio Congresso Nacional estaria capacitado e habilitado para mudar muita coisa - para melhor!
Assim, o Velhinho refaz o desafio, lançado em 17 de abril de 2009:
E aí? Vai encarar? (clique para ler de novo)

Nenhum comentário: