Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

30 julho 2009

Dinheiro jogado fora...
Dinheiro de quem? Ora, do Otário de sempre: O Eleitor e Contribuinte.A matéria é da Folha on line:

Criada para ser a principal rede pública do país, TV Brasil sofre baixas
ANA PAULA SOUSA
da Folha de S.Paulo

Há um ano e sete meses no ar, a TV Brasil tenta ajustar o seu foco. No período, a emissora ligada ao governo federal viu sua diretoria despedaçar-se, enfrentou acusações de má gestão e foi criticada pela falta de consistência da programação. Agora, outras duas baixas em seus quadros se anunciam.
À Folha, o presidente do conselho curador da TV, Luiz Gonzaga Belluzzo, disse que entregará o cargo. Nos últimos meses, 6 dos 15 conselheiros deixaram suas vagas.
Com um orçamento de R$ 350 milhões, a EBC (Empresa Brasil de Comunicação) congrega, além da TV Brasil, duas emissoras de TV e nove rádios. Nasceu com a ambição de tornar-se a rede pública nacional. Mas parece tropeçar em seus objetivos. "Tanto a sociedade quanto o governo têm baixa expectativa em relação à TV. É um espaço público pelo qual o público não se mobiliza", diz Mário Borgneth, um dos diretores afastados.
Borgneth representava, ao lado de Orlando Senna e Leopoldo Nunes, o projeto acalentando pelo MinC (Ministério da Cultura). Com a saída dos três, o MinC foi, na prática, afastado da EBC, controlada pela Secom (Secretaria de Comunicação), do ministro Franklin Martins. "A TV é vinculada à secretaria que maneja a informação do governo. O ideal seria que não tivesse esse perfil estatal, que fosse, por exemplo, uma fundação.
Em outros países, se ligadas ao governo, as TVs públicas tendem a estar ligadas aos ministérios da Cultura ou da Educação", diz Senna.
Comentário do Velhinho:
Parece que nunca aprendemos. O Executivo mal consegue cumprir cronogramas nas áreas de Saúde, Educação, Moradia, Transporte, Emprego, Segurança, e vai se meter em algo que não é de seu ofício?
Se ao menos houvesse coerência, o Executivo assumiria que a TV Brasil é um aparelho ideológico de Estado para divulgar ações do próprio Estado e acabaria com as vultuosas despesas em propaganda na iniciativa privada e muitas vezes igualmente aparelhada.
Com boa vontade, se economizaria uns tostões do erário e, quem sabe, diminuiría a carga tributária.
Mas é bom ser perdulário com o dinheiro dos contribuintes, não é?
Brasil: Um País de Tolos

Nenhum comentário: