Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

02 maio 2009

Tamanha cara-de-pau confirma: a maioria dos Políticos não tem valores morais...
Exceto os valores que favoreçam seus interesses de poder.Vejam esta matéria do Estadão on line:
Lula minimiza polêmica com uso de passagem aérea por deputados
RIO DE JANEIRO - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que os parlamentares que usaram passagens aéreas para transportar pessoas próximas não cometeram nenhum crime e acrescentou que quando foi deputado também utilizou sua cota para levar sindicalistas a Brasília.
"Isso é uma coisa mais velha do que a descoberta do Brasil", disse o presidente após participar da inauguração de uma unidade da Rede Sarah de Hospitais, no Rio de Janeiro.
"Eu fui deputado durante quatro anos, quando nós mudamos a história do salário fixo e do salário variado achávamos que íamos moralizar... acho que esse não é o problema do Brasil, temos outras coisas sérias para descobrir", afirmou Lula."Eu não acho correto, mas não acho um crime um deputado dar uma passagem para um dirigente sindical ir à Brasília", disse o presidente, acrescentando que quando era deputado convocou dirigentes sindicais para se reunir em Brasília com passagem do seu gabinete.Lula ressaltou, no entanto, que nunca utilizou a cota do seu gabinete para levar algum parente para Europa.
Na terça-feira, líderes partidários da Câmara dos Deputados aprovaram novas regras que disciplinam o uso de passagens aéreas pelos parlamentares. As medidas foram tomadas depois de denúncias de irregularidades.
"Qual é o crime de um deputado levar a mulher para Brasília. Graças a Deus nunca levei um filho meu para Europa, vocês dão dimensão demais a uma coisa que pode ser corrigida pela própria mesa do Congresso. Eu não vejo onde está o tamanho do crime que as pessoas estão vendendo", afirmou.Comentário do Velhinho: Esse é o nosso presidente jogando com as palavras, para variar.
É uma estória antiga que cai no colo de todo político e no bolso de todo contribuinte.
Não é ilegal porque não existe lei que torne proibido; não importa que seja imoral.
Leis podem e são feitas tanto pelo Executivo (através das abusadas Medidas Provisórias), do Legislativo (através da aprovação de Projetos de Lei - muitos da base governista, com votos negociados por cargos em órgãos públicos) e do Judiciário (quando o Legislativo, especialmente, deixa um vácuo no trabalho de legislar).
Notem que no palanque, na luz do holofote da sempre "maldita" imprensa ou na tribuna, políticos vestem a fantasia da moralidade, da ignorância, da probidade, quando confrontados com atitudes que, embora não sejam ilegais, são imorais perante a sociedade.Uns acobertam outros, segundo seus próprios interesses; negam conhecimento de deslizes de aliados ou subalternos e se apresentam todos como cândidos anjos. Os demônios SEMPRE são os outros: os que fizeram "coisas" sem seu conhecimento, os arquitetos de despesas não contabilizadas, as amantes grávidas ou não, as donas de bordéis e seus livros de clientes, os caseiros que viram e ouviram demais, a inveja dos que não possuem um filho ou uma filha com tino para negócios - embora os pimpolhos tenham negócios com empresas ou ONGs que atuam com concessões e/ou verbas governamentais - e, claro, o despautério da imprensa que teima em denunciar imoralidades que nem sempre se provam crimes. E quando o crime é patente, a ação judicial vai se arrastando anos a fio nos tribunais de foro privilegiado ou morre em conselhos de ética devido a falta de coragem política e o império da impunidade.
Esses são nossos políticos, aqueles que elegemos e tornamos a eleger. Eles não se interessam em tornar ilegal o que é imoral.
Usam o mesmo bordão que a personagem do humorista Chico Anísio, o "deputado Justo Veríssimo": Eu quero é me locupletar!Quem paga a conta do imoral e não ilegal somos todos nós, os Otários, Cidadãos, Eleitores e Contribuintes...
A imoralidade não tem partido e está em TODOS os partidos políticos.
Falta vergonha na cara. Dos políticos? Não! Naqueles que elegem políticos que não se preocupam em tornar ilegal o que SABEM ser imoral!!!

Nenhum comentário: