Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

25 abril 2009

E não é verdade?Comprovação? Ora, é só ler a matéria abaixo, do Último Segundo:
Câmara quer liberar mais cargos para deputados
25/04/2009 - 10:46 - Congresso em Foco
Os líderes dos partidos e as Mesa Diretora da Câmara têm na pauta dois projetos de resolução relacionadas a abusos cometidos por parlamentares no exercício do mandato. Um foi encaminhado na sexta-feira ao plenário e muda as regras sobre o uso de passagens aéreas. O outro, assinado no dia 7 deste mês pelo presidente da Câmara, Michel Temer, libera cargos para os gabinetes dos deputados.
Trata-se do projeto de resolução n°172/2009, proposto pela Mesa Diretora. Caso seja aprovado, os gabinetes dos deputados recuperam a prerrogativa de contratar assessores para Cargos de Natureza Especial (CNEs).
Na prática, a restrição, imposta há dois anos para tentar acabar com casos de nepotismo e de funcionários fantasmas, será extinta. Os CNEs são cargos de livre nomeação sem necessidade de concurso ou de comprovação de competência técnica dos líderes, dos presidentes das comissões e das principais diretorias da Casa. Os salários variam de R$ 1.500 a R$ 8.220.
Comentário do Velhinho: No Congresso Nacional deveria haver somente 3 tipos de funcionários: Os de cargo eletivo como senadores e deputados (sim, eles são funcionários, pagos com nossos impostos para representar o povo e os interesses da Nação, não os interesses patrimonialistas que costumam defender para si mesmos!), os concursados e trabalhadores de eventuais serviços terceirizados. Poderia até ser permitido um 4º tipo, o dos assessores dos deputados; contudo, estes deveriam ser mantidos pelos próprios deputados e não pelo erário público.
Então? Não é verdade o que diz a charge?

Nenhum comentário: