Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

13 abril 2009

É hora de mudar. Quem tem medo de mudança?Segundo o Estadão on line, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a seguinte frase nesta segunda-feira, 13/04/09: "O que nós precisamos é perder o medo de mudar".
No dia 23/03/09, segundo a Folha on line, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que o Brasil "não tem que ter medo de crise, não tem que se assustar com crise". "Isso é como uma gripe. Uma gripe, num cabra muito fino, deixa ele de cama. Num cabra macho, ele vai trabalhar e não perde uma hora de serviço por causa de uma gripe".
Muito bem.
Será que existe algum cabra macho no Executivo ou no Congresso Nacional que modifique o conceito de que salário é renda, seja através de Medida Provisória ou Lei?
Quase ninguém sabe que o Brasil tem uma das maiores cargas tributárias do mundo e que esse tributo, o imposto de renda sobre pessoa física, é sustentado pela grande massa trabalhadora.
Mas salário é renda?
Fui consultar o dicionário Houaiss e das 5 acepções do verbete, a última diz que sim:
1 - quantia recebida periodicamente por proprietário que aluga bens móveis ou imóveis; produto auferido na aplicação de capital; rendimento
2 - rendimento líquido, depois de descontadas todas as despesas
3 - rendimento dos fundos públicos
4 - qualquer rendimento sujeito a obrigações tributárias
5 - o total das quantias recebidas, por pessoa ou entidade, em troca de trabalho ou de serviço prestado
Como locução, na rúbrica "termo jurídico", encontrei o seguinte:
- total de receitas de uma pessoa física ou jurídica; renda sem a dedução de despesas
renda líquida - a renda bruta da qual se deduziram todos os gastos inerentes à sua produção
Se fizermos uma comparação (com certeza simplória para alguns) entre pessoa jurídica e pessoa física, percebemos que renda líquida para a primera seria todo o ganho menos as despesas que representam os custos de produção; no caso de uma indústria, p.ex., esses gastos abrangem insumos e matéria prima, folha de pagamento, despesas de energia, água e esgotos, tributos e mais despesas que são incorporadas no preço final do produto.
Já no caso do trabalhador, é o salário com os descontos legais.
Qual a diferença? Não estão computados TODOS os demais gastos que o trabalhador arca para ter condições de produzir: moradia, alimentação, educação, lazer, saúde complementar, despesas bancárias e todos os demais tributos pagos ao Estado na esfera federal, estadual e municipal.
Pode-se alegar que o trabalhador não sabe computar seus "custos de produção" para vender a força de trabalho por um preço digno. Pelo jeito, nem os sindicatos sabem, pois nunca levantaram essa bandeira de que salário não é renda e declararam vitória. Falta cabra macho que não tenha medo de mudar.
No Brasil se trabalha em média quase 5 meses para pagar impostos!
E aí? Algum cabra macho sem medo para mudar e definir que salário NÃO É RENDA?

Nenhum comentário: