Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

04 janeiro 2008

Grande novidade!
Somente o DEM e o PSDB é que não sabiam o óbvio ululante: não se pode confiar na palavra dos atuais representantes do Executivo, desde a presidência da República passando por suas dezenas de ministros e indo até ao partido político que o representa, o PT.
A traição é fomentada no seio do PT entre suas várias facções - ou tendências, como queiram.
Esse partido e seus componente jogaram por terra a imagem construída ao longo dos anos para seus eleitores - ao menos para os eleitores que não usam a viseira da militância - ao demonstrar que a bandeira da moral e ética era pura demagogia barata.
Não há nenhuma novidade disso. Ao PT, agora Situação em seu segundo mandato na presidência da República, não interessa nada além do que submissão, não importa como se consiga tal estado de seus "aliados".
Como ingenuidade é uma característica inexistente na política, o Velhinho se pergunta o que motivaria um voto de confiança dos que se dizem Oposição, para com as promessas da Situação. Seria burrice?
Segue um trecho da seção Opinião, do Estadão online:
Infidelidade e deboche
Quanto vale hoje a palavra do presidente Luiz Inácio Lula da Silva? Deveria ainda ter algum valor, quando a oposição aceitou, no mês passado, sua promessa de não elevar tributos para compensar o fim da CPMF, a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira. Em troca, a oposição apoiaria a renovação da DRU, a Desvinculação de Receitas da União. Pois o presidente conseguiu baixar ainda mais sua credibilidade, ao assinar, no primeiro dia útil do ano, dois atos de majoração tributária. Mas o triste exercício de autodesmoralização não terminou aí. Nesse quesito, esse governo não se contenta com pouco.
Ao anunciar as novidades, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, conseguiu agravar com o deboche o rompimento do compromisso. "O compromisso do presidente Lula era não promover alta de impostos em 2007. E de fato não o fez. Estamos fazendo em 2008, o que está dentro do programado", disse o ministro. Com essa declaração, mostrou-se à altura de seu companheiro Marco Aurélio Garcia, o assessor presidencial flagrado ao festejar com gestos obscenos uma notícia sobre o acidente da TAM.
Leia a íntegra aqui.

Nenhum comentário: