Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

30 novembro 2007

FARC, Reféns, Narco-tráfico, Revolução, Poder. Existe algum valor moral nesse imbróglio?
A matéria está no Globo online:
Prova de vida
Exército colombiano encontra prova de que reféns das Farc estão vivos
A irmã de Betancourt dissee que, além da emoção, o vídeo deixou a família preocupada porque não é um vídeo em que ela fala muito animada, é mais uma foto, em que ela aparece triste, olhando para o chão
BOGOTÁ - O governo colombiano informou na madrugada desta sexta-feira a detenção de três membros das redes urbanas das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em Bogotá, que tinham em seu poder provas de vida, como vídeos e fotos, de um grupo de reféns da guerrilha, entre eles a ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, seqüestrada em fevereiro de 2002, e três americanos.
Leia a íntegra, veja as fotos e vídeo, clicando aqui.
Comentário do Velhinho: As Farc, Fuerzas Armadas Revolucionarias de Colombia, surgiram em 1964. Para quem quiser conhecer sua história, contada por seus representantes, as Farc mantém um site (meio pesado, mas detalhado e cheio de ideologia) na web.
Um dos links do site é "solidaridad con los presos políticos".
Note-se que seus reféns, não são presos políticos. A estes não cabe solidariedade, nem menção no site como presos políticos.
O que são os reféns para as Farc? Mera moeda de troca, para a liberdade dos "verdadeiros" presos políticos, ou seja outros revolucionários.
São 40 anos de luta armada, sem que, nem o governo da Colombia, nem as Farc tenham posto um término na disputa, ou ganhando a guerra intestina ou acordando uma paz definitiva. Não haverá acordo satisfatório porque as Farc não irão depor armas, mesmo que um dia, eventualmente, cheguem ao poder.
Uma revolução que persiste por 40 anos, se tranformou em uma guerrilha alimentada pelo narco-tráfico, com milhares de vítimas inocentes na população da Colombia.
Narco-trafico este que tem intimidade com traficantes brasileiros, como Fernandinho Beira-Mar, e que causa milhares, se não milhões, de outras vítimas seja pelo consumo da droga (que muitos querem descriminalizar), seja por balas perdidas nos confrontos de traficantes entre si ou com a polícia.
Para um processo revolucionário, está bem claro, os fins justificam os meios. Esse aforismo não vale para o inimigo, só para os revolucionários.
O crime existe para quem detêm revolucionários, que em suas origens e pelas leis de seus países, se tornaram criminosos. Mas a Farc fazem reféns pessoas que não infrigiram as leis, não é crime.
Hoje se joga com o sentimento humanitário tanto de familiares dos reféns, como de colombianos, que devem estar fartos de tanta violência, e também para a população mundial. Serve até para dar ares "democráticos" a ditadores como Chávez e Fidel e para a guerrilha do narco-tráfico das Farc.
Mas onde está o sentimento humanitário das Farc, que não dão liberdade aos seus reféns?
Estão tentando colocar outro prócere da "democracia" na jogada, nada menos que o presidente Lula.
Ora, as Farc tem cadeira cativa no Foro de São Paulo. Se existe sentimento humanitário em tal Foro, bastaria um pedido para que libertasse os reféns. Mas como libertar a moeda de troca, sem mais valia, sem ganho político ou lucro financeiro? As Farc agem, e quem os aplaudem, de maneira criminosa, seja pela leis da Colombia, seja pela violação de tratados internacionais como a Declaração dos Direitos do Homem da ONU. E nem pensar de alguma organização que defenda os direitos humanos ir em socorro dos reféns das Farc. Refém das Farc é moeda de troca, não é ser humano.
A cobrança não vale para as Farc, só para aqueles que não são "revolucionários".
Quem defende o crime, aplaude o criminoso, favorece e enaltece a criminalidade, não faz apologia ao crime? E se isso ocorrer dentro do Brasil, não caberia ação da Justiça? E se quem o faz, exerce cargo público, eletivo ou de confiança, o Ministério Público não deveria se manifestar? E se tais ações afrontam nossa Constituição, nossos parlamentares não deveriam repudiar?
O tempora, O mores...
E viva o peleguismo!!!Paulinho da Força e Paim comemoram veto
O Velhinho entende que na foto, se comemora o peleguismo.
Com a devida contribuição do Senado, mais um tributo se perpetua: A contribuição sindical.
Durante anos, CUT e PT se dizia contrários a essa contribuição, conhecida por imposto sindical.
Agora, curiosamente, são à favor de sua manutenção.
Ora, esse tributo é recolhido pelo governo e repassado para as Confederações, Federações e Centrais Sindicais.
Sindicatos deveriam ter autonomia do Governo, inclusive financeira.
Será que o exercício do sindicalismo não tem história o suficiente para garantir o convencimento de associação e contribuição de uma classe trabalhadora? Parece que não, que falta essa competência.
Então, já que se trata de um financiamento público pela arrecadação compulsória dos trabalhadores e distribuído pelo Governo, que a aplicação dessa verba sofra fiscalização do Tribunal de Contas.
Não pode?
Bem, se não pode, realmente trata-se de peleguismo!
A matéria vem do Estadão online:
Senado derruba fim do imposto sindical e legaliza centrais
Emenda que foi vetada pretendia tornar o imposto facultativo; projeto segue novamente para a Câmara
BRASÍLIA - Pressionados pelos sindicalistas, os senadores mantiveram a cobrança do imposto sindical. Em votação simbólica, o Senado aprovou o projeto de lei que legaliza as centrais sindicais, determina a manutenção do imposto sindical e prevê que as entidades sejam fiscalizadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
Graças ao lobby das centrais sindicais, a matéria foi aprovada em plenário sem que antes passasse pelas comissões em que tramitava: a de Assuntos Econômicos (CAE), a de Assuntos Sociais (CAS) e a de Constituição e Justiça (CCJ). O texto aprovado derrubou a emenda do deputado Augusto Carvalho (PPS-DF) que pretendia tornar facultativo o imposto, correspondente a um dia de trabalho.
Leia a íntegra aqui.
Nunca antes neztepaíz!!! (Vai ver, é culpa dos governos anteriores...)Ou pelo menos é a desculpa mais provável que se dará ao problema.
Em parte, não se deixa de ter razão em responsabilizar governos anteriores. Mas, fizeram algo para melhorar? Não!
A matéria vem do G1:
Brasil cai no ranking de educação da Unesco
País está na 76ª posição no índice que mede progressos na conquista de metas.
À frente estão, por exemplo, a Bolívia, o Paraguai e o Equador.
O Brasil caiu quatro posições no ranking de educação da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (Unesco).
De acordo com relatório "Educação para Todos em 2015: Alcançaremos a meta?", divulgado nesta quinta-feira (29), em Santiago, no Chile, o país estava na 72ª posição, com índice de 0,905, na edição anterior e passou para a 76ª posição, com taxa de 0,902.

Leia a íntegra aqui.

29 novembro 2007

E a Venezuela continua fervendo... O Velhinho andou acompanhando as manifestações pelo "NO", através do link de vídeo livre da Globovision. É. Quantidade e qualidade.
Resta saber como se portará o gorila. Se seguir exemplos de gorilas do passado, as notícias dos próximos dias podem ser trágicas para o povo venezuela. Acompanhemos...

Do site da Globovision:
Freddy Guevara, dirigente de la Ucab, comenzó su discurso desde la tarima de la avenida Bolívar diciendo "¡Y la llenamos!" cumpliendo su lema de "¡A que la llenamos, vamos!". Expresó que esto fue una victoria de todo el pueblo venezolano, no sólo de la oposición. Recordó el llamado "a votar NO el próximo domingo". Acotó Guevara que "no es responsabilidad exclusiva de los estudiantes, sino de todos el ir a votar".
“Este pueblo le está diciendo ‘No’ al totalitarismo. Esto que está aquí es una reconquista para el pueblo, no para la oposición. Es una reconquista para la democracia”, afirmó Guevara.
Le recordó a las personas que siguen al presidente Chávez que “si votan ‘No’, no es en contra del presidente, es votar por Venezuela, por el futuro y por la democracia”.
Leia a íntegra aqui.
E a Venezuela ferve com o "NO", para desgosto de Chávez!
Simon Bolívar puxaria a orelha do gorila e diria:
-
"Huid del país donde uno solo ejerce todos los poderes: es un país de esclavos."
- "Más cuesta mantener el equilibrio de la libertad que soportar el peso de la tiranía."
O bom(?) e velho sindicalista...
Um cidadão ao ocupar o cargo de presidente da República, não pode se desvincular da condição de estar presidente enquanto durar seu mandato.
Não é o que o presidente Lula acredita, pois muitas vezes justificou sua fala, ora no exercício da presidência, ou como sindicalista, ora..., ora...
Para se aceitar essa condição, haveria de existir a dupla mão de direção. Ou seja, eventuais críticas recebidas deveriam ser encaradas como sendo, ora ao ocupante da Presidência da República, ora ao sindicalista de palanque, ora..., ora...
E nem sempre é assim, pois não?
As várias persona de uma figura pública se confundem.
E as falas dessas persona, podem confundir o público.
Como estas abaixo, da matéria do Estadão online:
Lula acusa: 'Quem tem medo da CPMF é quem sonega imposto'
Presidente faz discurso duro de defesa da prorrogação do imposto no Espírito Santo
COLATINA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira, 29, que "quem quer acabar com a CPMF, na verdade, além do PFL e do DEM, que torce todo santo dia para as coisas não darem certo neste País, por eles governado durante 500 anos, e não conseguiram fazer o que o País queria que fosse feito". E acusou: "Ora, eles agora ficam com discurso de que é muito imposto, na verdade, quem tem medo da CPMF é quem sonega imposto, eles são os que tem medo da CPMF. A CPMF é um imposto que vai detectar quem está sonegando".
Comentário do Velhinho: Não é preciso pertencer ao extinto PFL, ao DEM, para se saber que o Brasil tem uma carga tributária dentre as maiores do mundo. Também não é preciso ser muito letrado para perceber que o Estado não retribui em benefícios para a Sociedade tanto quanto, proporcionalmente, arrecada através de tributos. São tantos tributos, que sim, senhor presidente, quem puder os sonegará. Tributos e burocracia em excesso, sem que haja o proporcional retorno para TODA a Sociedade, são um convite à sonegação.
Que se defenda a CPMF como um CONTRIBUIÇÃO (não é imposto ainda, senhor presidente) para auxiliar os mecanismos de combate à sonegação, é aceitável. Desde que a alíquota seja simbólica, digamos de 0,02%, ao invés de 0,38%. Afinal, esse seria o objetivo, pois não? Detectar quem sonega. Se essa fosse a proposta do Executivo, a CPMF ja estaria aprovada faz tempo e sem tanto "Baazar" no Congresso Nacional, através de cargos e liberação de verbas. Todos eles pagos, diga-se de passagem, com o resultado da tributação que se abate sobre o otário, digo, eleitor e contribuinte.
Ele inaugurou uma ponte e um contorno rodoviário na manhã desta quinta em Colatina, a 130 quilômetros de Vitória, no Espírito Santo. Lula conclamou o Senado a aprovar a CPMF: "O Senado vai tomar uma decisão. Eu tenho a convicção que eles vão votar, e que a aprovação da CPMF vai permitir a gente voltar a este Estado, inaugurar as escolas, ou inaugurar hospitais, melhorar a saúde, melhorar a educação e a gente vai poder devolver ao povo brasileiro, o orgulho que nós nunca deveríamos ter perdido e sermos brasileiros com 'B' maiúsculo".
Comentário do Velhinho: O que seria, exatamente, esse "a gente"? "A gente" quem? Se a resposta for igual a "presidente Lula", então podemos ler da seguinte forma: O Senado vai tomar a decisão. Eu tenho a convicção que eles (os senadores) vão votar e que a aprovação da CPMF vai permitir o presidente Lula voltar a este Estado, inaugurar as escolas, ou inaugurar hospitais, melhorar a saúde, melhorar a educação e o presidente Lula vai poder devolver ao povo brasileiro, o orgulho que nós nunca deveríamos ter perdido e sermos brasileiros com "B" maiúsculo".
Então, a aprovação da CPMF é palanque para o presidente Lula e suas obras? Em seu segundo mandato? Por isso que se pretende a extinão da CPMF a partir de 2011, quando o presidente Lula, que assim seja, não será mais o presidente, talvez alguém do PSBD? Sei, sei...
Já incomodam faz tempo!!!
Democracia x totalitarismo - Quem quer um Duce, um Führer, um Chávez? Quem quer alguma ditadura?
Muito interessante o artigo de Demétrio Magnoli, no Estadão on line, seção Opinião. Nossos governantes, parlamentares, políticos, todos, deveriam lê-lo.
Segue abaixo um pequeno excerto:
O título Duce, que significa "líder", em italiano, foi usado pela primeira vez pelo rei Vittorio Emanuelle III em 1915, em seguida pelo intelectual e mentor de Mussolini, Gabriele D?Annunzio, durante sua efêmera regência autoproclamada de Carnaro, no Fiume, em 1920, e depois pelo próprio Mussolini, a partir da instalação da ditadura, em 1925. A reforma constitucional venezuelana representa a entrega do título de Duce a Hugo Chávez, que como Mussolini fala num "novo socialismo".
Clique para ler a íntegra.
Haja saco!!! E adivinhem quem vai pagar a conta???Do site de Lúcia Hipólito:
Agora é voto a voto
Encerrada a reunião entre senadores do DEM, do PSDB e alguns dissidentes da base aliada, chegou-se ao seguinte resultado.
A oposição aposta que tem voto suficiente para derrubar a CMPF, pois conta com os 14 senadores do DEM, os 13 do PSDB e sete da base aliada. Total: 34 votos, dois a mais que o suficiente para derrotar a emenda.
São os seguintes os senadores do DEM:
Adelmir Santana DF
Antonio Carlos Júnior BA
Demóstenes Torres GO
Efraim Morais PB
Eliseu Resende MG
Heráclito Fortes PI
Jayme Campos MT
José Agripino RN
Jonas Pinheiro MT
Kátia Abreu TO
Marco Maciel PE
Maria do Carmo Alves SE
Raimundo Colombo SC
Rosalba Ciarlini RN
Senadores do PSDB:
Álvaro Dias PR
Arthur Virgílio AM
Cícero Lucena PB
Eduardo Azeredo MG
Flexa Ribeiro PA
João Tenório AL
Lúcia Vania GO
Mario Couto PA
Marconi Perillo GO
Marisa Serrano MS
Papaléo Paes AP
Sérgio Guerra PE
Tasso Jereissati CE
Quanto aos senadores da base aliada que vão votar contra a CPMF, segundo as contas da oposição, são eles:
PMDB Jarbas Vasconcelos PE
Mão Santa PI
Pedro Simon RS
PR Expedito Júnior RO
Romeu Tuma SP
PTB Mozarildo Cavalcanti RR
PSOL José Nery PA
Mas... Sempre tem um mas. O governo guarda algumas cartas na manga.
Esta tarde, já conquistou o voto do senador Cristóvam Buarque, que declarou na tribuna do Senado que vota a favor da prorrogação da CPMF.
Além de Cristóvam, o governo tem como certo que quatro senadores do PSDB vão trair seus companheiros e votar a favor da CPMF. São eles:
Eduardo Azeredo MG
João Tenório AL
Cícero Lucena CE
Lúcia Vania GO
Também no DEM o governo conta com traições (três senadores):
Jaime Campos MT
Jonas Pinheiro MT
Adelmir Santana DF
Esses nomes deverão ser checados e rechecados diariamente, até a votação da CPMF em primeiro turno, o que, segundo cálculos otimistas, deverá acontecer lá para 10 de dezembro.
Vamos acompanhar, até porque o voto em plenário é aberto, pois se trata de proposta de emenda constitucional.
E o que acontece se a PEC for derrotada? A CMPF é extinta.
Nova PEC deve ser encaminhada ao Congresso, propondo a recriação da CPMF -- não se pode prorrogar um imposto que não existe mais.
Segundo a Constituição, a nova PEC só poderá ser apresentada em 2008, no início da nova sessão legislativa.
E mesmo que seja aprovada a toque de caixa, só poderá começar a ser cobrada 90 dias depois de aprovada (a famosa noventena).
Não surpreende, portanto, a agonia do governo federal.

Do blog de Nariz Gelado:
Hora do disque-monstro
Vocês já sabem: disque-monstro é como eu chamo a Central de Relacionamento com o Cidadão do Senado Federal - uma das vias pelas quais a opinião pública, que JK chamava de "monstro", pode avisar os senadores sobre os seus ânimos e preferências.
Pois li, há pouco, uma nota do Noblat dizendo que Romero Jucá, líder do governo no Senado, tem como certo que sete senadores da oposição trairão suas bancadas e votarão pela prorrogação da CPMF.
Hora, então, de ligar 0800 61 22 11 e deixar um recado pelo fim da CPMF. A ligação é gratuíta e você precisa escolher para qual senador quer deixar o seu recado.
Segue, no final deste post, a lista de senadores que, segundo a nota do Noblat, estariam dispostos a trair suas bancadas. Clicando sobre cada nome, você será direcionado também para o endereço de e-mail da criatura em questão - não custa nada reforçar pelo correio.
Pressão neles. O bolso do contribuinte agradece.
PSDB:
Eduardo Azeredo (MG)
João Tenório (AL)
Cícero Lucena (CE)
Lúcia Vânia (GO).
DEMOCRATAS:
Jayme Campos (MT)
Jonas Pinheiro (MT)
Adelmir Santana (DF)
(Atualização, às 22:13: a Carla, do Enfim, fez um copy-paste para quem quer colar todos os endereços em um único e-mail. Clique aqui para copiar)
O Velhinho já mandou seus e-mails, para que se vote pelo FIM DA CPMF. E você?
E viva o novo IDH do Brasil!!! - 2
Como "governar melhor" - 2

28 novembro 2007

E existe tropa de choque da "democracia" bolivariana...
"Democrática", não permitiu a entrada de parlamentares da oposição no Congresso boliviano.
Isso lembra aquela ação do MLST que invadiu a Câmara do Deputados em Brasília. Aliás, como anda o processo daqueles valentes? Alguém cumprirá cana dura ou ressarcirá os estragos causados?
Está no O Globo online:
Bolívia: camponeses e indígenas barram parlamentares da oposição e governo aprova leis
Indígenas e camponeses cercam o prédio do Congresso boliviano, em La Paz, para impedir a entrada da oposição - EFE
LA PAZ - Congressistas partidários do presidente da Bolívia, Evo Morales, aprovaram na madrugada desta quarta-feira duas leis enquanto camponeses seguidores do governo impediam que parlamentares opositores entrassem no Congresso, segundo mostraram canais de TV locais. Em outra frente, o governo enfrenta a greve em seis estados onde a oposição ter grande poder.
Leia mais aqui.
Chamem o pronto-socorro da tropa de choque "democrática" bolivariana...
Outra "democracia" totalitária em fase de implantação...E adivinhem quem irá defender o Sr. Evo (I)Morales, aplaudir suas atitudes "democráticas" e dar todo o apoio?
Matéria do Estadão online:
Oposição convoca greve geral na Bolívia
Grupo critica aprovação da nova Constituição por deputados aliados ao governo de Evo Morales
LA PAZ - A oposição boliviana convocou uma greve geral para a quarta-feira em seis dos nove Estados bolivianos, em protesto contra o projeto de Constituição proposto pelo governo do presidente Evo Morales.
A Carta Magna foi aprovada pela Assembléia Constituinte - que tem sede em Sucre e é dominada pelos partidos aliados ao governo - no sábado passado, sem a presença da oposição. A violência explodiu na cidade, logo após a aprovação, deixando quatro mortos e centenas de feridos.
Leia mais aqui.
Como "governar melhor"...
Palmas para o exemplo de "democracia"!!!
O Velhinho não pode dizer o que mais convém para a Venezuela, mas pode lamentar pelo povo venezuelano o momento histórico que está vivendo.
Nem sempre sabemos o que é melhor para nossas vidas, mas certemente sabemos o que não é. O Velhinho não quer nem para si, nem para o povo venezuelano, muito menos para o povo brasileiro, qualquer tipo de ditadura travestida de democracia.
Pois é, para este Rabugento, o que ocorre na Venezuela, na Bolívia e tende - se os brasileiros deixarem - a ocorrer no Brasil.
Por que tende a ocorrer por estas bandas? Porque temos aqueles que aplaudem a "democracia" totalitária de Chávez!
Lá, se não é a favor do ditador, não é tratado como opositor, mas como traidor, inimigo.
Um método, muito adotado no Brasil, pela militância petista, sempre tentando demonizar seus antagonistas.
A matéria é do Estadão online.
Chávez mira empresários contrários a reforma constitucional
Presidente reagiu com ameaça de confisco a pedidos de resistência à população venezuelana pela Fedecaramas
CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ameaçou confiscar os bens dos empresários que incitarem manifestações contra sua proposta de reforma constitucional.
As declarações foram feitas na noite de segunda-feira, 26, e têm como alvo os membros do principal sindicato patronal do país, a Fedecamaras.
Em meados de novembro, a entidade - que conta com milhares de pequenas e grandes empresas entre seus membros - classificou a proposta de reforma constitucional impulsionada por Chávez como um "ato ilegal" e incitou os venezuelanos a se oporem ao referendo para a aprovação das mudanças por "todos os meios possíveis".
"Quando eu vi e ouvi o presidente da Fedecamaras praticamente nos ameaçando, (dizendo) que irão fazer tudo o que puderem para evitar a aprovação da reforma - bem, caros, se vocês querem isso, vão em frente, porque eu irei levar todos os negócios que vocês têm", disse Chávez em um discurso transmitido na noite de segundo.
Leia mais aqui.
Aqui ainda ecoa grande e ululante vaia do Maracanã...
Um texto para se entender melhor a fala de presidente, ex-presidentes e políticos
Ajuda a deixar claro que a conta das mazelas praticadas por eles e paga pelos otários, digo, eleitores e contribuintes, é muita cara, diante do que se devolve em serviços e benefícios para a população.
Também ajuda a entender melhor falas como "para governar é preciso gastar mais", "sem a CPMF não há governabilidade", "as coisas mudam na política: o imposto sindical que significava peleguismo, hoje significa autonomia", e outras tantas de pseudos semideuses que existem no Planalto desde a formação da última Assembléia Constituinte.
Por último, permite refletir se alguns equívocos em nossa atual Constituição não foram, na realidade, propositais; como aquele fato, solenemente ignorado, de um célebre constituinte incluir letras que não haviam sido discutidas e aprovadas na redação final da Carta Magna.
O texto está no Estadão online, seção Opinião, de hoje.
A lógica dos abutres é continuísta
José Nêumanne
"É proibido gastar", decretou Tancredo Neves no discurso preparado para a posse na Presidência, que não houve por causa de sua internação no Hospital de Base, em Brasília, e posterior morte no Incor, em São Paulo. Ele foi pranteado pelas multidões que acompanharam seu corpo pelas ruas de São Paulo e Brasília, onde foi velado, e São João del Rey, onde foi sepultado. O povo chorou a perda de um líder que parecia insubstituível naquela hora dura da transição da ditadura militar para a democracia civil e também a despedida da esperança despertada por um homem público comprometido com os princípios básicos da democracia liberal da Constituição de 1946 em quem sonhava com um Estado de Direito depois dos anos de treva política e prosperidade econômica do regime autoritário. E com seu corpo foi enterrada em Minas também qualquer perspectiva de os maiorais da República terem alguma consideração quanto às míseras condições de seu bolso roto, achacado pelo Estado, voraz e estróina.
Talvez de forma involuntária, o próprio Tancredo semeou as condições para a gastança desenfreada que se seguiria à posse de seu vice, José Sarney, egresso da dissidência do partido civil de apoio à ditadura. Composto para atender à miríade de grupos políticos sem cujo apoio o prócer oposicionista não teria como derrotar o candidato governista, Paulo Maluf, o primeiro escalão que o presidente eleito pelo Colégio Eleitoral nomeou antes de morrer e que, a princípio, o substituto manteve foi o primeiro de uma série de Gabinetes multipartidários que viriam depois. Dos presidentes eleitos diretamente, nenhum teve maioria parlamentar por culpa da fragmentação partidária do quadro institucional da democracia iniciada sob a égide da Nova República, legitimada pela Constituição "cidadã" do multipresidente todo-poderoso Ulysses Guimarães e agora exercida pelo compadrio sindical, que cerca e afaga o companheiro presidente. O primeiro presidente eleito, Fernando Collor de Melo, não teve apoio nem para ficar no poder. O mandato-tampão de Itamar Franco foi controlado pelos colegas de Senado que o guindaram ao posto. E Fernando Henrique teve de dividir o mando com os cupins de sempre, acostumados a roer a roupa do rei e o bolso do povo.
O poder monárquico atribuído à Presidência e a imensa popularidade de seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, não o isentaram de ter de recorrer a idêntico expediente para obter o que se chama de "governabilidade", palavrão que, nas miudezas da política nacional, significa comprar apoio dos partidos com cargos no governo. Esse tipo de barganha custa caro, mas quem paga não é o presidente nem o grupo que o cerca - é o cidadão contribuinte. A máquina do Estado brasileiro é pesada e onerosa desde Tomé de Souza, mas tem sido particularmente dolosa à economia popular desde a Constituição de 1988, com um período sério de agravamento desde a consagração do dirigente sindical que veio do nada para subir ao topo. Sem nunca ter administrado um carrinho de pipoca que fosse, como disse seu ex-desafeto e hoje companheiro Orestes Quércia, Sua Excelência dispõe dos recursos arrecadados com a mesma liberalidade com que o fazia quando lidava com os recursos sem controle do sindicato de metalúrgicos que presidiu, há 30 anos.
Com sensatez, adotou a política de austeridade fiscal de seus antecessores e adversários tucanos, credenciando-se, assim, para navegar no mar de almirante da economia internacional. Os índices econômicos, de que se orgulham ele e seus ministros, são magníficos, se comparados com o passado do Brasil, mas pífios, se cotejados com o desempenho do resto do mundo. Mas quem é capacitado para comparar não tem interesse em fazê-lo, pois se beneficia com a situação. Com muita sorte, o presidente enfrenta (à falta de termo melhor) uma oposição que, de tão incompetente, chega a ser digna de pena. Basta ver o lamentável espetáculo da vergonhosa adesão dos governadores tucanos à prorrogação da CPMF, que levou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a cantar vitória antes da hora.
Embalado pelo engenho com que fala à alma e ao coração do povo, sem descuidar dos interesses da elite financeira, Lula criou um estilo de gestão sui generis, que, ao contrário do tornado célebre por seu amigo Delfim Netto na ditadura que ele ajudou a derrubar, segundo o qual é preciso assar o bolo antes de dividi-lo, parte do pressuposto de que importante é distribuir, e não produzir. É isso que justifica sua declaração recente de que choque de gestão é nomear mais companheiros do PT na máquina pública, e não enxugá-la para diminuir o peso que ela tem sobre as costas de quem trabalha e paga impostos.
Gastar é preciso, título dado pelo jornal O Globo à entrevista exclusiva do presidente publicada domingo, é a conseqüência natural de quem acredita que fazer a máquina funcionar não é prestar melhores serviços à cidadania, fornecendo hospitais, escolas e segurança pública, regiamente pagos pela sociedade e negados pelo Estado, mas gastar sempre mais para garantir a "governabilidade". "Se fosse possível fazer a máquina funcionar diminuindo dinheiro, seria ótimo", disse o profeta da gastança. E o disse com a boca cheia de quem sabe que conta com a cumplicidade dos governadores dos partidos ditos de oposição para continuar escorchando o cidadão com um imposto injusto como a CPMF em nome da "convicção" e da "responsabilidade". Incapaz de entender outra lógica que não seja a dos abutres (de esperar o próprio dia de se fartar da carniça), a zelite oposicionista termina por fazer o jogo do poder dos adversários que mandam, na esperança de que logo chegará sua vez de gastar. O problema desse raciocínio é que esse dia vai custar a chegar, pois a lógica dos abutres é continuísta.
José Nêumanne, jornalista e escritor, é editorialista do Jornal da Tarde

27 novembro 2007

E viva o novo IDH do Brasil!!!
Recomendo a leitura dos comentários de Reinaldo Azevedo.
Um "protesto" edulcorado...
Não deixa de ter simbolismo o bolo em "homenagem" à 300ª Medida Provisória assinada pelo atual presidente da República. Trata-se de um recorde, daqueles "nunca antes neztepaíz".
A M.P. é um dos casos permitidos pela Constituição que merece revisão; e, de preferência, extinção!
Diz a Constituição:
"Art. 62. Em caso de relevância e urgência, o Presidente da República poderá adotar medidas provisórias, com força de lei, devendo submetê-las de imediato ao Congresso Nacional".
Para que uma M.P. se torne válida, é requerida a aprovação nas duas Casas do Congresso Nacional.
Ora, a Constituição não estabelece limites para o número de promulgação de Medidas Provisórias.
Porém, dado o estrondoso número delas promulgados, caberia aos nossos parlamentares, em especial os que dizem ou consideram Oposição, se perguntarem da real justificativa de cada uma delas, nos quesitos relevância e urgência.
Uma boa manobra política seria de cara a proposição de uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC), que extingua, ou ao menos limite o número permitido de M.Ps.; outro, seria de somente aprovarem o que for incontestavelmente relevante e urgente.
Caso ações mais firmes não sejam adotadas, ficaremos nesses jogos de cena, contudo, submissos e complacentes à enxurrada de M.Ps. produzidas pela presidência da República.
Pode-se até aplaudir a iniciativa do protesto, mas a fatia do bolo mais doce, caberá adivinhem para quem?
A depender da decisão do Senado, que viver, poderá ver esta cena...
A bazófia que confunde sublime com soberba...
Outro dia, no site do Consultor Jurídico, foi apresentada uma pérola, através de sentença judicial proferida pela juíza de Direito Adriana Sette da Rocha Raposo.
Na sentença, a juíza assim expôs seu pensamento: “A liberdade de decisão e a consciência interior situam o juiz dentro do mundo, em um lugar especial que o converte em um ser absoluto e incomparavelmente superior a qualquer outro ser material” .
Lindo, não?
Agora, a juíza vem a público com um pedido de desculpas. Porém, mantém suas convicções naquilo que entende por sublime, em especial por estar "em mãos humanas, como as minhas, as dos meus pares".
Ainda não se questionou acerca da lisura de sua sentença. E nem o Velhinho o fará por mera ignorância do Direito e, em especial, do processo no qual a sentença foi prolatada. Mas, acaba por restar um dúvida acerca da Justiça, ao se colocar em mãos tão sublimes o destino dos mortais.
Mesmo aos deuses e deusas, nem tudo é permitido, pois não?
O pedido de desculpas da juíza, publicado no Consultor Jurídico, segue abaixo:
"AOS MEUS COLEGAS, AMIGOS E AO PÚBLICO EM GERAL
A propósito de matérias sobre mim publicadas na semana em curso, em vários órgãos da imprensa nacional: confesso que fui infeliz nos exórdios de algumas sentenças proferidas na Vara da Justiça do Trabalho de Santa Rita-PB, da qual sou titular.
Neles, repeti conceitos errôneos, despropositados sobre a natureza da magistratura, de que desejo aqui me retratar.

A missão entregue ao juiz é, de fato, sublime.
Tanto que o próprio Mestre aconselhou: "não julgueis", como se quisesse advertir que do julgar ninguém seria digno o bastante. No entanto, os homens precisam de Justiça e pedem por Justiça. E assim, a tarefa sublime acaba em mãos humanas, como as minhas, as dos meus pares. E homens, quando julgam homens, não estão livres das limitações de saber e de entendimento, dos defeitos de linguagem e dos vícios de sentimento inerentes à condição humana.
Daí o risco sempre iminente do erro. Este é o drama do julgador (e o presente episódio constitui dentro dele um capítulo pessoal particularmente doloroso). E isso, o que eu decerto teria escrito, num momento de maior felicidade.

De coração, peço desculpas àqueles a quem eu ofendi com minhas palavras.
Conforta-me apenas o fato de que, em nenhuma das matérias do meu conhecimento, tenha sido questionada a lisura das sentenças que dei.

Santa Rita-PB, 22 de novembro de 2007.
Adriana Sette da Rocha Raposo"
João Pessoa, 24 de novembro de 2007.

Associação dos Magistrados do Trabalho da 13ª Região
Por via das dúvidas, o Velhinho foi consultar o Houaiss e encontrou para o verbete 'sublime' a seguinte definição:
adjetivo de dois gêneros - que apresenta inexcedível perfeição material, moral ou intelectual; elevado, augusto
1. superlativamente belo, esteticamente perfeito; grandioso, soberbo, extraordinário Ex.: a s. arquitetura do Partenon de Atenas
2. moralmente irrepreensível; digno de admiração Ex.: vida s.
3. intelectualmente irretocável, perfeito Ex.: obra s.
4. cujos méritos ultrapassam o normal Ex.:
5. que em relação a outros está em posição superior ou distinta; insigne, perfeito, preexcelente
Ex.: a s. poesia de Petrarca
6. de uma beleza radiosa; esplendente, esplêndido, magnífico Ex.: o dia abriu puro e s.
7. digno do reino celestial; que se eleva acima do humano, do material; celeste, divino Ex.:
8. que desperta pensamentos e sentimentos nobres; elevado, magnífico, excelso
Ex.: estilo s.
substantivo masculino
9. o que há de mais elevado nas ações ou nos sentimentos
10. o máximo de perfeição ou beleza
11. grandiosidade, poder, força incomparável
E na Etimiologia, temos: lat. sublímis,e 'que vai elevando-se, que se mantém no ar; elevado, alto, sublime; ilustre, nobre, afamado, distinto, glorioso, célebre; altivo, soberbo, presunçoso'. Dada à condição humana dos juízes, o Velhinho é levado a acreditar não tratar-se de um caso como de algo esteticamente perfeito, moralmente irrepreensível, intelectualmente irretocável, com méritos que ultrapassam o normal, perfeito, esplêndido, divino,que desperta pensamentos e sentimentos nobres. Está mais para presunçoso, imodesto...
Tempos de bandalheiras que ninguém sabia?
Tempos funestos de "endurecer sin perder la ternura"?
Tempos de guerra civil?
Mas alguém acreditava na promessa???
O Velhinho já afirmou aqui, que muitos políticos são pródigos em fazer promessa de palanque, mas incapazes, na maioria dos casos, de cumpri-las; e quando as cumprem, nem sem o fazem da maneira plena como o prometido indicava. Pelo jeito, ainda há os que acreditam em promessas de palanque.
Aí, alguém dirá: mas o presidente Lula não está em palanque.
Ledo engano. O presidente Lula nunca deixou o palanque...
Lula esquece palavra empenhada e adia reforma tributária para 2008 Ele prometera enviar proposta até dia 30, mas mudou de idéia, com receio de tema contaminar votação da CPMF O cenário para a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) piorou tanto que o governo decidiu ontem adiar o envio ao Congresso Nacional do projeto de reforma tributária e descumprir a palavra empenhada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Com o temor de piorar as negociações, a proposta só será enviada depois de resolvida a votação da CPMF. Como a emenda que prorroga o imposto do cheque só deverá ser votada no fim de dezembro, é certo que o tema ficará para o próximo ano. A reforma tributária já foi adiada várias vezes desde o primeiro mandato de Lula.
Fonte: Estadão Online

26 novembro 2007

Mais uma ditadura se instalando na América Latina...E não é de hoje que isso se insinua. Mas pode-se perceber que o princípio maquiavélico de dividir para governar vem sendo bem aplicado pelos candidatos a ditadores.
Divide-se o povo em minorias para conseguir apoio para a "causa". Se coopta as chamadas "lideranças de minorias" com verbas da própria sociedade e, na medida do possível, se aparelha o Estado com apaniguados. Concomitantemente, se processa a destabilização de Instituições democráticas "de dentro para fora", mesmo à custa de aliados, uma vez que estes poderão sair de cena, mas não serão desamparados (ao menos até que se conquiste o poder totalitário; aí, salve-se quem puder, pois as primeiras defenestrações em geral ocorrem com... os prórpios aliados). Com isso se acirram as desconfianças nas bases da democracia existente, na pretensão de se instalar outra "democracia", mais totalitária.
Alguém já viu esse filme antes? É época de tristes reprises...
Líderes pedem fim de protestos contra Constituição na Bolívia
Constituição foi aprovada durante reunião no sábado
LA PAZ - As televisões locais mostraram imagens da cidade sem policiais, mas com sinais da onda de violência, com dezenas de instalações e veículos oficiais queimados e saqueados no início desta segunda-feira, 26. Líderes cívicos de Sucre, capital oficial porém não efetiva da Bolívia, e o bispo da cidade, o espanhol Jesús Pérez, pediram que os manifestantes que interrompessem os incidentes.
A polícia deixou a cidade após três dias de distúrbios e que provocaram a morte de quatro pessoas e deixaram mais de 130 feridos. A população protestava contra a aprovação de uma nova Constituição para o país.
Fonte: Estadão on line
Não acabou. Tem mais gás fétido surgindo...
Esse caminho já está dando merda! E mortes! Até quando?
Chávez já pode ser incluído no rol de ditadores
Vale a leitura da matéria de Denis Lerrer Rosenfield, na seção Opinião do Estadão online. É justamente o que pretende Chávez e seus defensores: a instituição de um totalitarismo (como se já não estivéssemos fartos disso!) na América Latina que, ao fim e ao cabo se resultar sucesso do troglodita, acabará por se tornar Latrina...
SS
Deveriam causar estupefação, se não indignação, o apoio e os elogios do presidente Lula, do PT e dos movimentos sociais ao ditador Hugo Chávez. A forma demagógica dessa defesa se configura como sendo a da democracia, como se esse regime pudesse ser simplesmente identificado ao da servidão socialista, cujos malfeitos desfiguraram completamente um pretenso discurso de salvação da humanidade. Parece, no entanto, que alguns não querem aprender nada com a História, apresentando o irremediavelmente velho como se novo fosse. E no nível da repetição o ditador venezuelano é inigualável.
No processo em curso, um fato tem sido pouco apreciado na torrente de novidades que jorram do projeto liberticida daquele país: o desencadear de uma corrida armamentista tem um alto significado político, inserindo-se no projeto dito de "socialismo do século 21". O uso de uma retórica "antiimperialista", de corte leninista, amplamente utilizada depois por Stalin, não pode encobrir uma outra afinidade, a deste projeto com o nazismo, que, relembremos, significa "nacional-socialismo".
Leia a íntegra aqui.
Cuidado para não contrariar...
Aplausos para a diplomacia democrática do gorila...
As frases abaixo foram selecionadas de uma matéria do O globo online e expressão a sutileza de um rinoceronte em uma loja de cristais. Essa é a postura do ditador Chávez, cuja cabeça megalômana funciona mais ou menos assim: "Ou é como eu quero, ou é como eu quero. Quem estiver contrário, comete traição, mesmo que não seja meu subalterno. Sou rei! Tudo posso!"
Vamos aos excertos, com grifos nossos:
"As relações entre Bogotá e Caracas começaram a se deteriorar na quarta-feira, com a decisão do governo colombiano encerrar a missão encomendada ao presidente Chávez para buscar um acordo com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), que permitisse a libertação dos seqüestrados. Chávez então afirmou que Uribe mentiu reiteradamente para justificar a decisão de pôr fim à mediação e disse que o país vizinho não quer a paz".
"No sábado, Chávez disse sentir-se 'traído' por Uribe e advertiu que as relações comerciais e bilaterais seriam comprometidas. Nesse mesmo dia, Uribe reiterou, em tom conciliador, sua 'disposição de manter um diálogo construtivo' com Chávez, e acrescentou que as Farc tinham o interesse de 'criar fissuras e antagonismos entre Colômbia e Venezuela'".
"No domingo, Chávez anunciou que a reconciliação entre os dois governos seria impossível e que colocaria em um 'congelador' a relação com a Colômbia, chegando a dizer que o presidente Uribe "cuspiu" em seu rosto. 'Nós teremos que esperar por um novo governo na Colômbia para que possamos negociar', disse".
"Ao afastar Chávez, Uribe alegou que o presidente venezuelano desrespeitou um acordo entre os dois segundo o qual ele não poderia se comunicar diretamente com o alto comando militar. Chávez nega que o acordo existisse e, por sua vez, atribuiu o seu afastamento à pressão americana e da elite colombiana sobre o presidente Uribe".
É... e tem até presidente da República, partidos políticos e parte do Legislativo aplaudindo e afagando o novo caudilho das Américas. Desejos incontidos?

25 novembro 2007

E vai espirrar prá todo lado... mierda!
E quando ele mandar que se limpe as botas, como vai ser?
Por falar em "democracias" que escondem ditaduras...
... o outro exemplo "democrático" está vindo do subalterno de Chávez, o Sr. Evo (I)Morales. Um exemplo de COMO NÃO FAZER!
A matéria está no Estadão online.
Assembléia da Bolívia aprova Constituição em meio a protestos
Oposição boicotou sessão; texto ainda será votado em detalhe e em referendo.
De La Paz - A Assembléia Constituinte da Bolívia aprovou neste sábado, em primeira instância, uma nova Constituição para o país, em meio a protestos violentos na cidade de Sucre que deixaram como saldo ao menos uma pessoa morta e mais de cem feridos.
Quando os manifestantes estavam a ponto de cercar o local onde os constituintes estavam reunidos, os representantes da base do governo de Evo Morales se apressaram para votar, sem nem mesmo haverem terminado de ler todo o texto.
As mobilizações começaram na sexta-feira, em rechaço à decisão da base do governo de instalar a Assembléia Constituinte em um colégio militar e aprovar a nova Carta Magna sem a presença da oposição.
Clique aqui para ler a íntegra.
Por falar em palcos e holofotes...
Ninguém se dá conta? É um método! A Assembléia Legislativa de São Paulo se transforma em proscênio, ribalta por excelência, onde os atores, muito bem pagos pelos contribuintes, ao invés de se debruçarem a legislar em benefício de toda a população do Estado promovem espetáculos polêmicos.
E o objetivo maior, creiam, não é defender "minorias". Esse é o mote, apenas.
Trata-se de um método para desacreditar a Instituição. Em geral, nesses espetáculos o contribuinte é levado a fazer papel de palhaço.

O último "show" está rendendo atenção da mídia. Notem que, ao fim e ao cabo, se pretende valorizar o maniqueísmo da "esquerda" e "direita", do "opressor" e "oprimido", onde as regras estão aí para serem quebradas. Desde que por um partido de esquerda que, óbvio, não as respeita.
Existe um método e objetivo por trás dessas ações e, aparentemente, ninguém se dá conta, muito menos denuncia.

A matéria vem do site do G1.
Show de transformista coloca governo e oposição em choque
Para líder do PT, pedido de cassação contra deputado do PSOL é um exagero.
Deputado tucano afirma que quem defende o movimento deve fazer parte dele.
PT e PSDB - principais partidos de oposição e situação da Assembléia Legislativa paulista - vão ficar em lados opostos também na discussão sobre cassar ou não o mandato do deputado Carlos Gianazzi (PSOL), promotor do evento em que um transformista se exibiu para os deputados da frente parlamentar contra a discriminação.
O pedido foi apresentado por Waldir Agnello (PTB), que integra a bancada evangélica.
O presidente da Assembléia, Vaz de Lima (PSDB), que também é ministro da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil, analisará as imagens neste fim de semana para decidir se aceita ou não o pedido de cassação.
Clique aqui para ler a íntegra.

24 novembro 2007

As cagadas de Chaves aprovadas, por tabela, pela Câmara do Deputados. E o Senado? Vai reconhecer essa ditadura que, infelizmente, é aplaudida por alguns brasileiros?
Hugo Chávez, o ditador, mostra os dentes.
Da Folha online:
Hugo Chávez insulta e ameaça com prisão religiosos na Venezuela
O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, insultou e ameaçou na noite desta sexta-feira enviar para a prisão os principais religiosos do país, caso se envolvam em ações que desestabilizem seu governo, em mais uma polêmica.
"Reitor [Luis] Ugalde, uma vez o perdoei, mas se o fizer outra vez vai parar em [na prisão] Yare, com batina e tudo. E você também cardeal", disse Chávez, a respeito de declarações do reitor da Universidade Católica Andrés Bello e do cardeal Jorge Urosa Sabino contra a reforma constitucional.
Do Estadão online:
Chávez ataca religiosos e ameaça enviá-los à prisão Líder venezuelano manda para o 'inferno' líderes evangélicos e católicos que criticam reforma constitucional
CARACAS - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, mandou para o "inferno" um grupo evangélico que chamou sua reforma constitucional de "herética", além de criticar a Igreja Católica por ter dito que este projeto é "moralmente inaceitável". Além disso, ameaçou mandar para a prisão os principais religiosos do país, caso se envolvam em ações desestabilizadoras contra o seu governo, segundo informações da agência AFP.
(...) Em um ato da campanha pelo "sim" à reforma, que será submetida a plebiscito no dia 2 de dezembro, Chávez chamou de "farsante" o representante do Fórum Evangélico da Venezuela, que afirmou que sua proposta para uma nova Constituição é uma heresia. Ele também reprovou a Conferência Episcopal Venezuelana, que em um recente documento se opôs à moralidade do projeto de reforma.
Para o presidente venezuelano, que deu vivas a Jesus Cristo "pai, líder e revolucionário", sua reforma responde à "proposta divina de Cristo, o redentor dos pobres", o que, segundo ele, fará os cristãos votarem pelo "sim" em 2 de dezembro.

"Há alguns farsantes manipulando. Alguns são bispos católicos. Agora surgiram alguns supostos líderes evangélicos, mas tenho certeza de que a grande maioria dos verdadeiros cristãos evangélicos e dos verdadeiros católicos está com a reforma e vão votar pelo "sim", disse o governante em um ato em Caracas.
O Fórum Evangélico da Venezuela argumentou que a reforma é uma "heresia", pois ameaça a propriedade privada, o que considera se de origem divina, e por não limitar o número de reeleições do presidente, o que seria contra a vontade de Deus.
Do Globovision on line:
Insultos y amenazas a prelados venezolanos a la cárcel
Chávez insultó y amenazó el viernes por la noche con enviar a la cárcel a los principales prelados venezolanos si se involucran en acciones desestabilizadoras contra su gobierno.
"Rector (Luis) Ugalde, una vez lo perdoné, pero si lo hace otra vez directico va a parar a (la cárcel de) Yare, con sotana y todo (...) Y usted también cardenal", dijo Chávez, por unas declaraciones del rector de la Universidad Católica Andrés Bello y del cardenal Jorge Urosa Sabino en contra de la reforma constitucional.
El mandatario venezolano llamó "vagabundos", "maleantes", "jala mecates" (aduladores), "estúpidos", y "retardados mentales", entre otras cosas, a la jerarquía de la Iglesia, que criticó en un documento público la propuesta para modificar la Constitución, que será sometida a un referendo el 2 de diciembre.
"Son el demonio, defensores de los más podridos intereses, son unos verdaderos vagabundos del cardenal para abajo", dijo Chávez.
La Iglesia venezolana presentó el 19 de octubre un documento en el que critica la propuesta constitucional porque "limita la libertad de los venezolanos, incrementa excesivamente el poder del Estado, elimina la descentralización, y el gobierno controla muchísimos espacios de la vida ciudadana".
"Que se vayan a rezar 100 padrenuestros y 100 avemarías de rodillas", subrayó Chávez, en referencia al documento.
Qual o valor do "michê"?
Recado para o Senado brasileiro: "Viva de democrácia bolivariana del Venezuela!"
Estudiantes de la Monteávila fueron reprimidos por la PM al intentar entregar panfletos Estudiantes de la Universidad Monte Ávila fueron fuertemente reprimidos por contingentes de la Policía Metropolitana, al intentar repartir panfletos contra el proyecto de reforma constitucional en la entrada de la Cota Mil adyacente a este centro de estudios. Uno de los estudiantes señaló que al momento de repartir los panfletos “los efectivos de la Policía Metropolitana rompieron una reja que da hacia la Cota Mil e intentaron entrar al recinto universitario”.
Fonte: Globovision
Comentário do Velhinho: É este exemplar regime democrático que foi aprovado pela Câmara do Deputados, para validar a inclusão da Venezuela no Mercosul. Não se sabe ao certo o valor do "michê" pago por essa aprovação. Não que a Venezuela, enquanto país da América Latina, desmereça um lugar no Mercosul; quem não merece é o ditador megalômano Hugo Chávez, embora constantemente aplaudido por pessoas que dizem levar a bandeira da Democracia.
Mas que raio de Democracia é esta que tenta calar pela força, ora de milicias encapuzadas, ora dos aparatos policiais do Estado, a voz dos estudantes, a voz das ruas, a voz do povo?
Será essa a "democracia" que se pretende para o Brasil?
O Velhinho espera que nossos senadores não tenham prejuízos éticos e morais, que impeçam dizer um sonoro NÃO ao totalitarismo de Hugo Chávez.
Imaginem, caso o ditador venha a fazer parte do Mercosul, o que deve ocorrer quando, pelo rodízio, esse semi-deus narcisista estiver presidindo o Mercosul.
Vale também a recomendação para se ouvir o
comentário de Arnaldo Jabor no site da CBN.

23 novembro 2007

O apoio a essa cagada ainda vai causar muito arrependimento por aqui...