Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

20 dezembro 2007

Já pensou se essa "democracia" chega ao Brasil?
O que seria dos Ali Babás e das quadrilhas de ladrões? Mas não é só para a corrupção, não.
As duas matérias são da Folha online:
Ex-promotor chinês é condenado à morte por corrupção
O ex-promotor-chefe e ex-subdiretor do Departamento de Segurança Pública de Tianjin, Li Baojin, foi condenado à morte por ter aceitado subornos e por malversação de fundos públicos, informou nesta quarta-feira a agência estatal chinesa Xinhua.
Li aceitou subornos de sete instituições e uma companhia entre 1996 e 2006, segundo a sentença do Tribunal de Cangzhou, na Província de Hubei. Ele chegou a receber US$ 760 mil.
O funcionário também foi condenado pela apropriação indevida de US$ 1,8 milhão entre março de 2003 e novembro de 2004.
China condena à morte professores que prostituíram alunas
Um casal de professores que esteve na lista dos criminosos mais procurados da China foi condenado à morte na Província de Guizhou (sul) por ter obrigado 23 meninas --em sua maioria alunas adolescentes-- a se prostituírem, informou a imprensa estatal.
Zhao Qingmei e seu marido, Chi Yao, eram professores de ensino básico e médio, respectivamente, na escola Xinfa, em Weining.
Eles foram julgados culpados entre março e junho de 2006, segundo a sentença do Tribunal Popular de Bijie.
Das 23 jovens, 22 eram alunas de Zhao e Chi. A outra era uma moradora da localidade, segundo a nota da agência oficial Xinhua.
A sentença de Chi, no entanto, foi suspensa, e portanto poderá ser comutada para prisão perpétua depois de dois anos se o réu mostrar arrependimento e boa conduta.
O casal foi detido em agosto de 2006, em Panzhihua, na Província de Sichuan.
A polícia havia emitido uma ordem de busca e captura de "classe A", reservada para os fugitivos mais procurados do país.
A recompensa por eles era de US$ 1.350 [cerca de R$ 2.440].
Outro professor da escola, Hai Long, e sua mulher, Li Huiyuan, foram condenados a penas de 11 e 13 anos de prisão, respectivamente, pelos mesmos crimes.
O grupo obteve US$ 4.400 [cerca de R$ 7.900] com seus crimes.

Nenhum comentário: