Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

09 dezembro 2007

Ah! Essas "democracias" onde não pode existir Oposição...
É um método.
Primeiro, cria-se condições para a existência de uma Oposição minoritária; em seguida, cria-se situações para desqualificar, miniminzar ou atribuir pechas a essa Oposição; ao mesmo tempo, insufla-se o maniqueismo "bem" x "mal", "pobre" x "rico"; em dado momento, se propõe o uso de referendos e plebiscitos para mudar a Constituição, mesmo que esta possua cláusulas específicas que regem tais mudanças; repete-se/amplia-se o processo de desqualificação da Oposição, objetivando, ou derrotas estrondosas através de contra de votos de parlamentares, ou o simples abandono de representantes da Oposição no Plenário; caso esse abandono não seja "espontâneo", é forçado através da restrição do direito de ir e vir por militantes aliados à Situação, ou por convocações de votação na calada da noite ou fora dos dias normais de funcionamento do Congresso, em sessões extraordinárias convocadas de surpresa.
E se pretende chamar a isso "democracia".
Algumas das características citadas acima já são notada nesta terra brasilis, mas em alguns países da América Latina podem ser encontradas todas elas.
Existe democracia sem que se permita existir Oposição?

Matéria do Estadão online:
Assembléia Constituinte aprova nova carta boliviana
Constituintes haviam sido convocados de surpresa pelo presidente para votar a carta artigo por artigo
ORURO, BOLÍVIA - A Assembléia Constituinte boliviana, dominada por governistas e sem a presença do maior partido da oposição, aprovou a nova Constituição do país. A Assembléia havia concordado em se reunir no sábado para votar, artigo por artigo, o projeto, que vem causando grandes divisões e protestos violentos. A votação durou mais de treze horas.
A nova carta, que algumas regiões do país já disseram que ignorarão, dá mais poderes às populações indígenas. Vários artigos, que não obtiveram maioria de dois terços para serem aprovados, também serão definidos, caso a caso, em referendo. A Constituição aprovada consagra a Bolívia como um "Estado plurinacional". A nova carta contempla a reeleição presidencial por um mandato consecutivo, e não de forma indefinida, como havia sido proposto inicialmente pela bancada situacionista.
Leia a íntegra aqui.

Nenhum comentário: