Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

30 novembro 2007

E viva o peleguismo!!!Paulinho da Força e Paim comemoram veto
O Velhinho entende que na foto, se comemora o peleguismo.
Com a devida contribuição do Senado, mais um tributo se perpetua: A contribuição sindical.
Durante anos, CUT e PT se dizia contrários a essa contribuição, conhecida por imposto sindical.
Agora, curiosamente, são à favor de sua manutenção.
Ora, esse tributo é recolhido pelo governo e repassado para as Confederações, Federações e Centrais Sindicais.
Sindicatos deveriam ter autonomia do Governo, inclusive financeira.
Será que o exercício do sindicalismo não tem história o suficiente para garantir o convencimento de associação e contribuição de uma classe trabalhadora? Parece que não, que falta essa competência.
Então, já que se trata de um financiamento público pela arrecadação compulsória dos trabalhadores e distribuído pelo Governo, que a aplicação dessa verba sofra fiscalização do Tribunal de Contas.
Não pode?
Bem, se não pode, realmente trata-se de peleguismo!
A matéria vem do Estadão online:
Senado derruba fim do imposto sindical e legaliza centrais
Emenda que foi vetada pretendia tornar o imposto facultativo; projeto segue novamente para a Câmara
BRASÍLIA - Pressionados pelos sindicalistas, os senadores mantiveram a cobrança do imposto sindical. Em votação simbólica, o Senado aprovou o projeto de lei que legaliza as centrais sindicais, determina a manutenção do imposto sindical e prevê que as entidades sejam fiscalizadas pelo Tribunal de Contas da União (TCU).
Graças ao lobby das centrais sindicais, a matéria foi aprovada em plenário sem que antes passasse pelas comissões em que tramitava: a de Assuntos Econômicos (CAE), a de Assuntos Sociais (CAS) e a de Constituição e Justiça (CCJ). O texto aprovado derrubou a emenda do deputado Augusto Carvalho (PPS-DF) que pretendia tornar facultativo o imposto, correspondente a um dia de trabalho.
Leia a íntegra aqui.

Nenhum comentário: