Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

23 agosto 2007

Quando se fala que o Governo brinca de investir na Educação, leia-se décadas de governos...
Na educação pública de qualidade (incluindo aí professores bem remunerados, infraestrutura de escolas adequada, recursos didáticos e materiais) é que realmente está a base para um Brasil melhor.
Cá entre nós, não basta tentar manter o aluno na escola através da bolsa-família. É preciso ter Escola, em tudo que a palavra implica.
Exemplos de, digamos, constrangimento com a Educação temos sobrando, inclusive entre governantes que poderiam, se quisessem, também melhorar seus conhecimentos formais. Ou ao menos buscar a assessoria de pessoas mais qualificadas em certas áreas do conhecimento, para evitar falar bobagem em público e dar mau exemplo para estudantes.
O mais recente é este aqui.
O Globo - 23/08/07 - Página 23

A aula magna de sete erros de Sérgio Cabral
Durante evento, governador diz, entre outras incorreções, que Getúlio Vargas morreu com tiro na cabeça, e não no peito
Cláudio Motta  O governador Sérgio Cabral foi ontem à UniverCidade, em Ipanema, onde se formou jornalista em 1989, para proferir uma aula magna sobre “Segurança e recuperação econômica do Rio de Janeiro”. Ao abandonar o tema e fazer uma veemente defesa da democracia, ele cometeu pelo menos sete erros ao falar do Brasil, desde a colônia até os tempos atuais. Durante quase uma hora de palestra, ele afirmou duas vezes que Getúlio Vargas suicidara-se com um tiro na cabeça, quando, na verdade, a bala atingira o coração.
— Em 1954, o presidente da república mete uma bala na cabeça, gera um caos e a crise no Brasil — disse Cabral.
Leia mais aqui
.

Nenhum comentário: