Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

24 agosto 2007

Conversa mole... os partidos políticos que apoiam a manutenção da CPMF não merecem os votos que tiveram.
Porém, é importante que saibamos quais são os partidos e, em especial, os políticos que pretendem prorrogar a CPMF. E se aprovada tal prorrogação, dar o troco nas urnas.
Na reportagem abaixo temos alguns: PT - PTB - PR - PMDB - PSB.
Xô, CPMF!!!
O Globo - 24/08/07 - Página 12
CPMF: base já defende concessões
Ministro, contudo, mantém posição de não abrir mão da contribuição
Ilimar Franco e Isabel Braga
BRASÍLIA. Pressionados por empresários e governadores, os dirigentes dos partidos aliados defenderam ontem, na reunião do Conselho Político, que o governo Lula negocie concessões para aprovar a emenda constitucional que prorroga a CPMF e a DRU (Desvinculação de Receitas da União) até dezembro de 2011. Mesmo assim, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, presente à reunião, não abriu a menor possibilidade de negociar a redução gradual da alíquota.
Muito menos compartilhar a receita, como querem os governadores. Ele voltou a sinalizar com outras compensações de ordem tributária para as empresas.
Os líderes disseram a Mantega e ao ministro Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais) que estavam numa situação desconfortável pelo fato de o governo exigir uma posição dura de sua base na Câmara, ao mesmo tempo em que acena com a possibilidade de negociação no Senado, onde sabe que não terá maioria para aprovar a emenda como quer.
— A negociação deveria ser conjunta. Não dá para endurecer na Câmara e, por força das circunstâncias, afrouxar no Senado — disse o líder do PDT, Miro Teixeira (RJ).
O presidente da CNI, deputado Armando Monteiro (PTB-PE), convidado por Mares Guia a participar da reunião, criticou a prorrogação da CPMF, defendendo a redução imediata de sua alíquota para 0,20%.
O líder do PR, Luciano Castro (RR), informou que seu partido apresentará uma emenda prorrogando a CPMF por oito anos, prevendo a redução da alíquota a partir do quarto ano (em 2011) de 0,38% para 0,28%.
— O governo não quer ceder, mas vamos peitar — disse o líder do PMDB, deputado Henrique Eduardo Alves (RN), ao relatar que o partido sofre pressões muito grandes.
Junto ao líder do PSB, deputado Márcio França (SP), Alves trabalha numa proposta que prevê a eliminação progressiva da CPMF, baseada no aumento da arrecadação. Quando essas manifestações foram feitas, o Mantega já havia saído.
Apesar dos apelos dos líderes aliados, o secretário-executivo da Fazenda, Bernardo Appy, afirmou que a única compensação que o governo pretendia fazer seria enviar uma proposta de desoneração da folha de pagamento, com a redução da alíquota da contribuição das empresas para o INSS.
Enquanto os líderes discutiam a CPMF no Planalto, a Comissão Especial da Câmara criada para analisar a emenda reuniuse e elegeu presidente Pedro Novais (PMDB-MA).

Nenhum comentário: