Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

24 abril 2007

Estatizar o bicho, o bingo? Por que não regulamentar?
O Estado já estatizou, muito anos atrás, loterias diversas. Não é de meu tempo, mas houveram cassinos legais no Brasil. Dizem que não faziam feio, à época, aos dos exterior. Foram proibidos e o jogo do bicho desde sempre era contravenção. O cassino pereceu, fora os ilegais que vira e mexe apareciam; o bicho, na contravenção prosperou e se espalhou.
O Estado ruge sobre o contribuinte com a voracidade da tributação, sempre a maior. O arrecadado se perde em ralos sem fundo, não se notando a devida utilização na contrapartida de serviços oferecidos à população.
Falam agora em "estatizar" o bicho e o bingo. Por que não regulamentar adequadamente, impor a taxação competente e exercer rígido controle da Receita Federal sobre cassinos (que poderiam incluir o bicho e o bingo)? Por que não direcionar para cidades com potencial turístico esse tipo de empreendimento, gerando empregos e, por conseqüência, maior consumo e arrecadação de tributos?
Quem ganha com a manutenção ou agravamento da criminalização?
Quem ganharia com uma regulamentação séria e competente fiscalização de cassinos em cidades com potencial turístico?
Será que o Velhinho está viajando na maionese? Ou não se quer transfomar "la crème de la crème" de alguns em maionese para muitos?

Nenhum comentário: