Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

05 fevereiro 2007

Era tudo “de mentirinha”...

Provavelmente, esse tipo de ação acabará se estendendo para tesoureiros, “banqueiros”, “cascateiros” e outros eiros, aloprados ou não. Dizem que a história é feita pelo vendores. Ai dos vencidos. No caso, o povo brasileiro como um todo. Não duvidem se a data da aprovação dessa “anistia” também não seja revestida de simbologia. Bem que poderia ser em 1° de Abril!

Assessor de Lula garante apoio a pedido de anistia para Dirceu

Iniciativa, anunciada em reunião do Campo Majoritário, tem aprovação de Marco Aurélio Garcia

A operação de resgate do ex-ministro-chefe da Casa Civil e deputado cassado do PT José Dirceu ganhou ontem reforço importante da cúpula do governo Lula. Marco Aurélio Garcia, assessor especial para Assuntos Internacionais da Presidência da República, pregou publicamente anistia para o ex-ministro.

'Quando o projeto vier é claro que apóio', declarou Marco Aurélio, à saída do encontro promovido pelo Campo Majoritário, principal tendência do partido, em um hotel de luxo de São Roque, a 60 quilômetros de São Paulo.

'Se fui contra a cassação dele, como não posso ser favorável à anistia?', enfatizou o auxiliar direto de Lula.

Cassado a 1.º de dezembro de 2005, sob suspeita de envolvimento no esquema do mensalão, Dirceu perdeu os direitos políticos e ficou inelegível até 2015. O ex-ministro jamais aceitou a acusação. Também nunca escondeu sua ambição de logo voltar à Câmara.

Leia mais aqui.

Nenhum comentário: