Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

31 outubro 2006

Para deixar bem claro...

Blog do Miguel Paiva

Esse é um dos que o Velhinho visita. Por interessante, transcrevo uma de suas últimas postagens e meu comentário naquele Blog.

29/10/2006 21:48

LULA REELEITO

O que eu acho que aconteceu, na minha leiga e modesta opinião, é que na campanha para o segundo turno o povo pode perceber que diante do quadro pouco estimulante, Geraldo Alkmin, de fato, não trazia nada de novo ou confiável que pudesse mudar o quadro. O povo preferiu continuar com a política do Lula que, sem dúvida alguma, touxe mais comida e emprego para os lares brasileiros, coisa que não acontecia há muito tempo. A corrupção não é uma novidade na política brasileira. Crescemos convivendo com essa herança maldita, assim como a Itália, país onde vivi por 6 anos, e que com a vivência democrática foi derrotando a corrupção e aprimorando a um custo alto e longo a democracia. É isso aí. O povo quando pode, sabe votar sim. Pode até errar mas é ele mesmo que tem que constatar isso na próxima eleição, não nós, os jornalistas, analistas políticos, ou celebridades qiue podemos determinar de antemão quem pode ser presidente. Parabéns ao novo eleito e insisto, estaremos de olho. Miguel Paiva

Comentário do Velhinho:

Data de Envio: 30/10/2006 10:47:00

Olá Miguel, É assim o processo democrático. O que vale é o resultado das urnas e não o festejo ou lamento das torcidas organizadas. Que os resultados, não só para a Presidência da República, mas também para Governadores, venham a beneficiar o povo e a Nação. O processo não pára ao apertar o botão da urna eletrônica. É o começo. A cidadania exige ficar de olho e cobrar dos representantes eleitos não as palavras de palanque, que muitas vezes são demagógicas, mas a correta aplicação do Artigo 6° da Contituição: "São direitos sociais a educação, a saúde, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição". Tudo o que os políticos fizerem no sentido de atender esses direitos não é mérito e sim mera obrigação. Foi com essa expectativa que o povo, democraticamente, os elegeu. Abraços e viva a nossa Democracia, que pode não ser perfeita, mas é a que temos de devemos manter.

Uma outra visão sobre as eleições...

Vira e mexe o Velhinho vai ver o site AlertaTotal, do Jorge Serrão. Por achar interessante, posto a matéria abaixo. Até para refletir um pouco sobre essa tal “vontade da maioria”, voto obrigatório, votos válidos, brancos e nulos. Essas coisinhas da nossa democracia que precisam também ser melhoradas.

Terça-feira, Outubro 31, 2006

Números do TSE revelam que 67 milhões rejeitaram Lula, e 30 milhões protestaram contra as eleições e os políticos

Edição de Terça-feira do Alerta Total http://alertatotal.blogspot.com/
Por Jorge Serrão
Os números oficiais da eleição colocam em cheque o adjetivo “acachapante” da vitória reeleitoral de Lula da Silva e revelam que o País está dividido politicamente. Dados da totalização final do Tribunal Superior Eleitoral confirmam que o presidente sofreu uma expressiva rejeição nas urnas, e não “a vitória do Brasil” e do povo brasileiro que ele estampou na camiseta, ao comemorar a vitória, no domingo. O nome de Lula foi rejeitado por exatos 67.617.893 cidadãos, que corresponde a 53,70% dos eleitores. A frieza dos números eleitorais quebra o forjado clima de consagração psicológica de poder dada ao presidente pelos seus marketeiros.

Leia mais aqui.

Estava quase esquecendo. Quase..., hoje completam 46 dias...

Esse Jabor...

Deliciosa crônica que mescla futurologia fantástico-tupiniquim, nuances da Revolução do Bichos de Orwell e um quadro do eclético Jô Soares (o do general que havia entrado em coma, lembram do bordão? “Tira o tubo, bota o tubo, enfermeira”).

Arnaldo Jabor – O Globo – Segundo Caderno – 31/10/06 – Página 8

O colunista em coma político

Blargh... blargh....
— Deus... ele está acordando... milagre!...
Depois de tantos anos em coma, o colunista está acordando!...
— Brarrazil... mamma... Luuuuu... luuuuu...
luuuulaa...? — Quer saber do Lula... Ele está em coma desde o Grande Salto para a Frente do segundo mandato, sob pressão dos sindicalistas, empregando mais 80 mil cumpanheiros na máquina pública, o chamado “aparelhamento para a liberdade”...
— Lulaaa...? — Calma.... respire devagar.
Hoje, Lula é o curador do Museu do PT, todo em mármore vermelho, um projeto do Niemeyer.
São filas imensas como diante de um Lenin vivo, e o Lula, apesar da idade, está lúcido, contando as histórias da Presidência, até o dia do grande crash, quando os sindicalistas derrubaram-no do poder, sob o comando do Sérgio Sombra, a mão direita do Celso Daniel, que foi declarado pelo STF “um suicida neoliberal que teria se matado para incriminar o PT”.

Leia mais aqui.
JERICOACOARA - CEARÁ - BRASIL.














E é assim que temos que continuar: tocando/remando/puxando o barco...do que jeito que der...

A foto é da amiga Mônica, com o fotolog indicado nos links "Leio e Recomendo" aí ao lado. Ela também iniciou um blog, chamado MATÉRIA-PRIMA. Fica o convite para visitarem.

Nem tudo o que se diz, se faz...(3)

Sugestão do Velhinho: leiam primeiro as postagens abaixo, pela ordem, a de Josué Maranhão e a de Merval Pereira. Depois avancem sobre a análise de Mirian.

classname=loadding v:shapes="_x0000_i1025">

MIRIAM LEITÃO – O Globo – 31/10/06 – Página 26

Luta de poder

Os sinais dados de mudanças na política econômica são mais uma etapa da eterna briga entre gastadores e fiscalistas. A idéia de que o governo possa se decidir pelo desenvolvimento, como se antes estivesse querendo não crescer, é bizarra. A divisão que se forma é parte da luta de poder do segundo mandato e tem um alvo claro: o presidente do Banco Central.

Ontem à tarde, o presidente Lula chamou seu assessor de imprensa, André Singer, e pediu para desmentir as especulações: “Quem nomeia ministro sou eu, e o ministro é o Guido Mantega.” Mas o problema não é Mantega e, sim, Henrique Meirelles.

Leia mais aqui.
Tem conserto? Ou "concertação"?

Nem tudo o que se diz, se faz...(2)

Antes de lerem esta matéria, sugiro a leitura da postagem abaixo, de Josué Maranhão. Depois, cheguem às suas próprias conclusões.

classname=loadding v:shapes="_x0000_i1025">

MERVAL PEREIRA – O Globo – 31/10/06 – Página 4

Dores do crescimento

Ao contrário do que parecia à primeira vista ter sido uma “derrota moral”, a realização do segundo turno na eleição presidencial foi uma dádiva dos céus para legitimar a reeleição do presidente Lula, que, se ganhasse no primeiro turno por uma margem tão reduzida, teria que arcar com o peso de ter dividido o país, quando essa divisão, na verdade, nunca existiu.

A maioria dos eleitores de Cristovam Buarque e Heloísa Helena, e os cerca de dois milhões que migraram de Alckmin para Lula no segundo turno, sempre foram votos de Lula, apenas representavam eleitores incomodados com os deslizes éticos do PT ou com a arrogância do candidato Lula, mas nunca eleitores convictos de Alckmin ou mesmo do PSDB.
Bastou uma ligeira confrontação ideológica sobre as privatizações, forjada mais em insinuações e indícios do que em fatos, para que esses eleitores tivessem o pretexto de se juntar novamente a Lula, na esperança de que um segundo mandato possa ser o governo que sempre sonharam, mais à esquerda. A tática de jogar o PSDB para a direita do espectro político, que é utilizada pelo PT há muito tempo, deu resultado para atrair novamente os 30% de eleitores petistas tradicionais, entre a esquerda e a classe média tida como progressista. O resto dos votos veio na esteira dos programas sociais assistencialistas nas regiões pobres do país, especialmente no Norte e Nordeste.

Leia mais aqui.

Porta-retrato...

Nem tudo o que se diz, se faz...

Volto a postar matéria do amigo “escrivinhador” Josué Maranhão, publicada no site Última Instância. O texto tem a ironia adequada para o momento e serve para qualquer político de plantão ou candidato a pai da pátria.

Seja feita a vontade do povo!

Josué Maranhão
BOSTON
– Passadas as eleições, espera-se que agora a vida no Brasil possa voltar à calma. Afinal, 2006 foi um ano complicado. Copa do Mundo e Eleições, sem dúvida, tumultuaram a vida do país.
O importante, no entanto, é que o povo escolheu livremente em eleições, o presidente da República que governará o país até o final de 2010.
A eleição presidencial deste ano, como já ocorreu antes, tem um simbolismo diferente. Não é somente a oportunidade para o povo escolher, através do voto livre e direto, o presidente da República. Tratando-se de reeleição daquele que exerceu o cargo no período que termina no final do ano, a eleição tem também o caráter de referendo.
Reeleger o presidente significa aprovar o que ele fez durante o primeiro mandato.
Este simbolismo imprime maior importância à decisão da nação.
Escolhido o presidente da República para o próximo quadriênio, a vontade do povo precisa ser respeitada, não somente quanto à figura do presidente Lula, que foi reeleito. Mas também a sua reeleição significa que o povo lhe deu um atestado de aprovação de sua gestão.
Isto significa muita coisa!

Leia mais aqui.

Começar de novo...

Da coluna de Claudio Humberto, na Folha de Londrina

''Governar não é só ter voto, é também é ter respeito.''
FHC ironizando Lula e mostrando que não está disposto a descer do palanque
PT já briga por cargos

Fracionado, o PT hoje tem um adversário comum, na base aliada: todos os demais partidos que apóiam o presidente Lula. Tarso Genro (Relações Institucionais) alia-se a Dilma Rousseff (Casa Civil), da facção gaúcha, para diminuir a influência paulista, do ex-ministro José Dirceu, e o PT nordestino, embalado pela vitória de Jaques Wagner na Bahia, exige ministérios. Assim como o PT-MG quer o prefeito Fernando Pimentel ministro da Fazenda.

Comentário do Velhinho: O maestro já deu o tom do início da sinfonia. Qualquer movimento haverá de passar primeiro pelo seu aval pessoal, independente de vontades outras. Remete ao um filme de Fellini, Prova d´Orchestra...
Nem aí
O presidente Lula decidiu ignorar a brigalhada petista por cargos em seu governo. Disse a aliados, ontem, que não vai pensar nisso tão cedo.
Comentário do Velhinho: Presto!

Cadeia
Em Ribeirão Preto (SP), o Ministério Público pediu 225 anos de prisão para o ex-ministro Antônio Palocci e outros oito envolvidos na máfia do lixo.
Comentário do Velhinho: Mero mis-em-scene, uma vez que existe uma limitação legal para cumprimento de pena, caso o(s) individuo(s) venham a ser condenados. E progressividade da pena. Bastava, na opinião do Velhinho, que os envolvidos pegassem a pena mínima, mas com arresto de bens para restituir ao erário público a verba malversada.

Rejeição
Mesmo com sacos de dinheiro apreendidos, João Pessoa (PB) rejeitou o tucano Cássio Cunha Lima: Zé Maranhão (PMDB) teve 75 mil votos a mais.
Pântano
A líder do PT no Senado, Ideli Salvatti (SC), foi orientada ontem a expressar sua alegria na tribuna sem tripudiar sobre os adversários.
Barrigas e urnas cheias
De passagem por Belém, há dias, o governador eleito da Bahia, Jaques Wagner (PT), revelou o segredo (e o custo) da vitória: em seu Estado, o programa Bolsa-Família gastou, só em 2006, R$ 1 bilhão com 1,3 milhão de famílias. Considerando-se a média de três eleitores por família, o programa garantiu ao PT e a Lula, na Bahia, 3,9 milhões de votos (43% do total).
Ao trabalho
O presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), reúne nesta terça todos os líderes para definir a pauta. Rebelo quer todo mundo votando.
Vítima fatal
Em Acopiara (CE), um eleitor chegou embriagado para votar e, colérico, dizendo-se inconformado com as opções, esfaqueou a urna eletrônica.
Melhor lá
Brasileiros ilegais com filhos nascidos nos EUA se entregam à Imigração, esperando perdão legal para ficar, revela o jornal Sun-Sentinel, da Flórida.
Olho neles
Antes, queriam controlar a imprensa. Ontem, petistas agrediram jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada, aos gritos de ''Vamos fechar os jornais'' e ''Prefiro ditadura que a imprensa''. Os camisas pretas de Mussolini também.
Comentário do Velhinho: É só dar tempo ao tempo que as máscaras caem. Todas elas.

Intolerância
O estudante Alan Brito, que no debate da Globo fez uma pergunta que Lula não gostou, é alvo de linchamento no Orkut, com quase 14 mil desaforos de militantes petistas que chegam até a ameaçá-lo e à sua família de morte.
Traíra
Tucanos culpam o governador do Pará, Simão Jatene, pela derrota de Almir Gabriel para Ana Júlia Carepa (PT). Jatene passou boa parte do governo pescando e não inaugurou cinco hospitais regionais prometidos em 2002.
Zero à esquerda
As urnas confirmaram as pesquisas sobre a indiferença dos eleitores quanto ao apoio de Itamar Franco a Alckmin. Em Juiz de Fora (MG), cidade do ex-presidente maluquete, Lula teve 72,9% dos votos, contra 27% do tucano.
Concórdia
Há anos hostilizado pelo senador eleito Jarbas Vasconcelos (PMDB), o governador eleito de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), celebrou sua vitória espetacular propondo o fim de brigas tão velhas quanto inúteis.
ESG continua
O ministro Waldir Pires (Defesa) informou ontem que não cogita a extinção da Escola Superior de Guerra, até porque considera a instituição um fórum importante de discussão da sociedade para iniciativas de defesa e da paz.
Boquinha
Como Lula deseja um ''ministério de vencedores'', José Sarney mobiliza a cúpula do PMDB para pressionar o presidente a abrir exceção, nomeando sua filha Roseana no lugar do ministro Silas Rondeau (Minas e Energia).
Comentário do Velhinho: E se isso se concretizar, ficará avalizada a continuidade do Coronelismo, agora Neo-Coronelismo, sob os auspícios, por tabela, do eleitores que garantiram a reeleição.

Fogo amigo
O deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS) atribui a ''fogo amigo'' sua suposta adesão ao governo Lula. Garante que jamais aceitaria favores em troca de posição política, mas, disciplinado, avisa: ''Sou um homem de partido''.
Calendário
Para a oposição o Dia das Bruxas não é hoje. Foi dia 29.
Pensando bem...
... Lula tem mais quatro anos para descobrir o que ''não sabia''.

30 outubro 2006

Vamos pedir ao Jorge...
Ogum, o Orixá guerreiro do Candomblé, sincretizado na Umbanda como S. Jorge, deve receber muitas preces para que se mate o dragão. Falando nisso, alguém já sabe qual Orixá irá reger o ano de 2007?

Vai doer mais, doutor?

O Velhinho comentava que os próximos dois anos serão cruciais. Reformas que foram empurradas com a barriga nos governos anteriores a Lula – e também por ele – estão ladrando ao anoitecer de cada dia, da mesma forma que os cães de minha vizinha.

Ambos incomodam e exigem atitudes. O caso é que as atitudes no primeiro caso afetarão o país e o povo. Algo mais difícil de administrar que no segundo caso. Kennedy Alencar dá uma ligeira pincelada no assunto.

30/10/2006

Os riscos do 2º mandato

KENNEDY ALENCAR
Colunista da Folha Online
A votação ainda transcorria, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não estava reeleito, mas dois ministros importantes e que terão força no segundo mandato já prometiam mudanças na política econômica. Mau começo.
Tarso Genro (Relações Institucionais) falou em fim da "era Palocci". Dilma Rousseff (Casa Civil) disse que a economia passará para o "segundo momento" porque foi concluído um "conjunto de ajustes".
A credibilidade econômica do governo Lula foi conquistada a duras penas. Quando o presidente diz que recebeu o país quebrado em 2002, não reconhece que havia, sim, um temor do mercado em relação às idéias econômicas que implementaria no governo. Era a época do risco-país recorde, da falta de linhas de crédito para exportação etc.
No poder, Lula aplicou uma dura ortodoxia fiscal e monetária. Um dos fatores que ajudaram Lula a superar a crise política foi não ter havido uma crise econômica simultaneamente. Mesmo nos piores momentos dos escândalos do mensalão, a economia não foi afetada.
Diretores do Banco Central que Lula queria demitir no começo de 2005 (chegou a dar ordem a Palocci nesse sentido) sobreviveram porque os petistas "desenvolvimentistas" tinham de se preocupar com Roberto Jefferson e os desdobramentos de suas entrevistas à Folha.
Com o perdão da má poesia, quando José Dirceu falava de economia, o mundo caía. Tarso e Dilma abordam a economia muito mais do que tratam de suas respectivas áreas, articulação política e gerenciamento do governo. Estão fazendo o que o ex-ministro da Casa Civil fazia, a contragosto do presidente: tentar influenciar áreas que não estão diretamente sob comando.
Guido Mantega, ministro da Fazenda, virou um espécie de auxiliar da Casa Civil. Tenta se manter no cargo com apoio de Dilma e Tarso, além da fidelidade extrema ao presidente. É curioso e irônico que, no dia da reeleição de Lula, não tenha sido ele a dar a notícia de mudanças na economia.
Ora, achar que foi "concluído um período de ajustes" é de uma cegueira econômica tremenda. Houve ampliação dos gastos públicos no ano da reeleição de Lula. A questão fiscal é fundamental.
Lula foi ambíguo na sua primeira entrevista após reeleito. Disse que manteria uma forte política fiscal, mas soltou uma frase preocupante: "Conseguimos resolver o problema da macroeconomia". Não é verdade.
Lula corre dois riscos. O primeiro é não fazer nada na área fiscal. Fernando Henrique Cardoso cometeu o mesmo erro quando resolveu surfar nas ondas do populismo cambial. Adiou uma desvalorização que aconteceu à sua revelia em 1999, quando o país quebrou. Poderá contratar uma crise futura, ainda em sua gestão.
O segundo risco é o mercado começar a acreditar que Dilma e Tarso vão dar as cartas na economia. Se essa versão cola, Lula poderá jogar fora todo o sacrifício que fez nos últimos quatro anos.

Nos braços do polvo...

Vai doer, doutor?

O resumo que Eliane Cantanhêde apresenta no Pensata da Folha On-line é sucinto e conciso. A ver onde se darão os primeiros cortes e quem sentirá as dores.

29/10/2006

Em 2006, pacotes de bondades; em 2007, hora de maldades

Lula venceu porque: tem uma enorme identidade e interlocução com a grande maioria do eleitorado brasileiro, jogou a culpa dos escândalos nos outros, forçou a polaridade "pai dos pobres" versus "elite privatizante" e, enfim, usou sem pruridos a máquina do governo.
Em 2005, José Serra estava em franca ascensão, e Lula estava virtualmente derrotado. Em 2006, a máquina passou a funcionar - e a perseguir (no sentido de ir atrás) os recantos e segmentos onde o candidato não ia bem.
Em resumo: o governo reduziu a tabela do IR em 8%, favorecendo a classe média assalariada, aumentou o salário mínimo de R$ 300 para R$ 350, subiu o Bolsa Família em 20%, anunciou generosos pacotes para a construção civil, para a casa própria, para a agricultura, para as pequenas prefeituras. E deu aumentos seletivos para o funcionalismo público, gerando uma pressão por isonomia entre categorias e Poderes.
O resultado foi uma vitória acachapante no segundo turno, com crescimento de votos em praticamente todos os Estados e em todos os segmentos do eleitorado de Norte a Sul. Mesmo ferido pelas denúncias e pelas sucessivas quedas dos principais homens de seu primeiro mandato, Lula conseguiu repetir ontem, contra Alckmin, os índices que teve no segundo turno de 2002, contra Serra. Um fenômeno, consideradas tantas denúncias do Ministério Público, da Polícia Federal e da imprensa.
Agora, Lula tem enormes desafios pela frente. O primeiro é escolher a dedo seu ministério e evitar que surjam novos escândalos. O segundo é governar bem. O terceiro é não se contentar com programas de transferência de renda e combater a desigualdade social estrategicamente. Por exemplo, flexibilizando a economia, sem ameaçar a estabilidade.
A preocupação mais imediata é articular uma sólida base de apoio, aliada a uma espécie de trégua da oposição. E o primeiro teste será crucial: como fechar as contas, garantindo o ajuste fiscal.
Se 2005 foi o ano da "derrota", 2006 foi o dos pacotes de bondades. A partir de agora, e, sobretudo em 2007, é hora de ajustar os desajustes: os aumentos da campanha não cabem nas contas do governo. É cortar ou cortar.

Águas que ainda não passaram... passarão?
Águas passadas...
É 45! 45 dias se passram...
Eleito por tabela?

Do site de Claudio Humberto

“A partir de segunda-feira, nós temos de baixar as armas”

Deputado Henrique Fontana (RS), líder do PT na Câmara, acenando a bandeira branca

Comentário do Velhinho: E o povo, o ator mais importante do processo democrático, deve manter em riste a baioneta da fiscalização e da cobrança daqueles que elegeram. Se vacilar, eles nos tomam até as calças...

Sumiu o 'vidente' da vitória tucana

Tomou chá de sumiço o "vidente" Jucelino da Luz, que registrou em cartório sua previsão de vitória de Gerado Alckmin com 64% dos votos. Ele aceitou o desafio de a coluna cobrar esse resultado. A coluna telefonou, mas Jucelino não atendeu, nem retornou as ligações.

Comentário do Velhinho: Ele deve estar tendo um pesadelo...

José Reinaldo celebra vitória no Maranhão

O governador do Maranhão, José Reinaldo (PSB), celebrou a vitória de sua estratégia - considerada uma maluquice por muitos analistas - de apoiar três candidatos a governador, com o objetivo para levar a eleição para o segundo turno. Também deu certo o seu forte apoio do PSB do Amapá, que segurou o senador José Sarney no Estado durante todo o primeiro turno, impedindo-o de ir ao Maranhão ajudar a filha Roseana. O governador José Reinaldo é considerado o grande vencedor da eleição do Maranhão.

Comentário do Velhinho: O velho coronelismo está em baixa. Esperemos que não comece a surgir um neo-coronelismo populista. O que já existe, basta.

Pai da urna eletrônica não pôde votar

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal e do Tribunal Superior Eleitoral Carlos Velloso sofreu sábado à noite, no aeroporto de Brasília, com a greve branca dos controlados de tráfego aéreo. Velloso deveria viajar para Belo Horizonte às 20h, mas até a 1h da manha de domingo ainda estava em solo. Irritado com a falta de respeito aos passageiros, voltou para casa. Com isso, Velloso - considerado o pai da urna eletrônica - teve que justificar o voto em uma agência dos Correios, em Brasília. Como não há possibilidade de voto em trânsito, o pai da urna não usou o moderno sistema de votar.

Alckmin fracassou em todas as regiões

Lula obteve 77,10% da preferência dos nordestinos, beneficiados com o Bolsa-Família, contra 22,90% de Alckmin, que na região havia conquistado 26,15% de votos no primeiro turno. Alckmin não conseguiu repetir os números que obteve no Sul e no Sudeste, onde diminuiu 1,5% no primeiro e 2,23% no segundo. Eleito com mais de 60% dos votos válidos, Lula virou no Centro-Oeste e no Sudeste do País, onde Alckmin obteve melhores resultados no primeiro turno.

Jeferson: dinheiro reelegeu mensaleiros

O ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB acha que o eleitor reelegeu os mensaleiros e impediu a volta ao Congresso dos sanguessugas porque os primeiros ganharam muito dinheiro e financiaram suas campanhas. "Os mensaleiros pertencem ao alto clero do Congresso" - explicou - "São presidentes de partidos. Ganharam rios de dinheiro e puderam gastar nas suas campanhas. Já os sanguessugas pertencem ao baixo clero. Ganharam alguns trocados com a compra de ambulâncias e vão ficar sem mandato".

Comentário do Velhinho: E no decorrer dos próximos quatro anos? Haverá mais denúncias de corrupção?

Toron pode substuir Bastos na Justiça

Diante da provável saída de Márcio Thomaz Bastos do Ministério da Justiça, o presidente Lula poderá nomear, em seu lugar, outro advogado criminalista: Alberto Zacharias Toron, de São Paulo unha e carne com o atual ministro.

Lula não transferiu votos para Roseana

Com 85% da preferência dos maranhenses, o presidente reeleito Luiz Inácio Lula da Silva não conseguiu transferir seus votos para a aliada Roseana Sarney (PFL), que disputou o governo do Estado com o pedetista Jackson Lago, eleito com 53% dos votos válidos.

Comentário do Velhinho: Sinal que o povo não é tão inocente como imaginam...

Fagner justificou o voto: falta de opção

O cantor Fagner não votou nem em Lula e muito menos em Alckmin. "Por falta de opção", segundo as suas próprias palavras, o cantor cearense preferiu justificar o seu voto no Aeroporto JK, em Brasília na manha de domingo. Após justificar o voto, Fagner viajou para Salvador. Antes, porém, teve que amargar duas horas de atraso no vôo 3566 da TAM.

Após vexames, Ibope volta a acertar

Após os percalços do primeiro turno, o Ibope se recuperou e acertou nas pesquisas de boca de urna para a Presidência e nos Estados. Tudo dentro da margem de erro.

Depósitos suspeitos

Quatro depósitos do marqueteiro Duda Mendonça na conta da empresa da mulher de Freud Godoy, amigão de Lula, somam R$ 29.347,00. Totalizam apenas 85 reais a mais que a dívida do presidente junto ao PT, paga por Paulo Okamoto. Comprovantes dos depósitos da CEP Comunicação, de Duda, foram entregues pela CPI dos Sanguessugas à Polícia Federal. Pode ser apenas coincidência, mas a oposição suspeita de “operação casada”.

Comentário do Velhinho: R$ 85,00 corresponderia à CPMF?

Caminho

Só quebrando o sigilo de Paulo Okamoto para saber se há relação entre os R$ 29,3 mil na conta da mulher de Freud Godoy e a dívida de Lula já paga.

Vade retro

Após a humilhante derrota para o petista Jaques Wagner, o governador da Bahia, Paulo Souto, cogita filiar-se ao PSDB para se livrar de ACM.

Fim de papo

Relator do projeto, o deputado Léo Alcântara (PSDB-CE) apresenta, ainda esta semana, parecer favorável à extinção da assinatura básica de telefone.

Comentário do Velhinho: Só comemoro quando for Lei.

Velho filme

Passadas as eleições, senadores e deputados federais terão aumento salarial. Ganharão mais de R$ 19 mil por mês, fora os penduricalhos.

Comentário do Velhinho: mas não é hora de cortar despesas?

Dossiê: sessão mistério

Da série “Grandes mistérios da humanidade”: por que as câmeras de segurança da sede da Polícia Federal em São Paulo não flagraram o suposto encontro clandestino do ex-faz-tudo de Lula Freud Godoy com o “aloprado” Gedimar Passos, e a casa de câmbio Vicatur também não tem a fita de vídeo de quem tirou a grana do dossiê?

Comentário do Velhinho: Vídeo se edita?

Deixa o homem descansar

O presidente Lula deve aproveitar o feriadão de quinta (Finados) para descansar. Ao lado da “Galega”, quer ficar bem longe de jornais e tevês.

Comentário do Velhinho: Mas ele ainda precisa responder de onde veio o dinheiro...

'High end'

O Ministério do Desenvolvimento Agrário comprou 80 palmtops. Cada um deles custa entre R$ 400 e R$ 2.000.

Torcida

Funcionários não querem apenas que Banco do Brasil, Petrobrás, Correios etc não sejam privatizados. Querem também que saiam do noticiário policial.

Cassação

O presidente do Conselho de Ética, Ricardo Izar (PTB-SP), promete apressar a partir de amanhã o julgamento dos 67 deputados sanguessugas. Dos acusados, só Cabo Júlio (PMDB-MG) ainda não apresentou defesa.

Bola fora

Aspones tentam impedir a ida do governador eleito da Bahia, Jaques Wagner (PT), à abertura do 50º Congresso da União Internacional dos Advogados, amanhã, em Salvador. Só porque Paulo Souto, o atual, vai.

Projeto 2010

O ex-governador Anthony Garotinho tem procurado emissoras de rádio no Nordeste para firmar parcerias, fazendo retornar seu programa para todo o País. Quer ser o candidato dos evangélicos a presidente, em 2010.

Maré baixa

O prefeito petista de Nova Iguaçu está enrolado com a população: Lindberg Farias ganhou “péssimo” em saneamento, lazer, educação e iluminação na pesquisa de 261 moradores, registrada em cartório e enviada ao gabinete.

Bye, bye Brasil

A Voetur Turismo fechou mais um contrato milionário. Dessa vez com a Capes, que estima gastar R$ 17, 5 milhões em passagens e diárias com bolsistas, consultores e visitantes estrangeiros em um ano.

Comentário do Velhinho: Negociar direto com as empresas aéreas não sairia mais barato, uma vez que não haveria taxa de administração da agência de turismo?

Quem manda

Diante da alegação da diretora da Agência Nacional de Aviação Civil, Denise Abreu, de que tem mandato até 2010 e não arreda-pé, entre amigos a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) exclamou: “Eu desmandato!...”

Comentário do Velhinho: Será ao arrepio da Lei?

Falsidade

A Central Brasileira de Vendas, empresa que ganhou a licitação para fornecer carteiras escolares por R$ 733 mil ao governo da Paraíba, é acusada de apresentar ao Estado atestados falsos de qualificação técnica.

Ética e RH

O setor de Recursos Humanos se organiza para desenvolver pactos contra a corrupção, garante Ralph Chelotti, da Associação Brasileira de RH. Em novembro, isso será tema do congresso interamericano de Florianópolis.

Pensando bem...

...antes crème de la crème, os melhores quadros do PT viraram o crème du crime.

29 outubro 2006

Vale repetir SponHolz
Dia do segundo turno. 44 dias passados...

O Melhor do mau humor...

Governo

O que os presidentes não fazem com suas esposas, acabam fazendo com o país.

Mel Brooks

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)

Momentos finais (6)

O Melhor do mau humor...

Heróis

Infeliz o povo que precisa de heróis.

Bertolt Brecht

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)

Momentos finais (5)

O Melhor do mau humor...

Igualdade

O principal problema da democracia é a lamentável tendência a fazer com que as pessoas acreditem que todos os homens são iguais, quando basta dar uma olhada ao redor da sala para ver que não é bem o caso.

Fran Lebowitz

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)

Momentos finais (4)

O Melhor do mau humor ...

Jornalismo

Primeiro apure os fatos. Depois, pode distorcê-los à vontade.

Mark Twain

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)
Momentos Finais (3)

O Melhor do mau humor...

Liberdade

Política tem esta desvantagem: de vez em quando, o sujeito vai preso, em nome da liberdade.

Stanislaw Ponte Preta

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)

Momentos finais (2)

O Melhor do mau humor...

Mentira

As pessoas nunca mentem tanto quanto depois de uma caçada, durante uma guerra ou antes de uma eleição.

Otto Von Bismarck

(CASTRO, Ruy, O Melhor do Mau Humor, Companhia da Letras Ed., São Paulo, 1990)

Momentos Finais (1)

Os próximos dois anos...

Desta feita não haverá referência a alguma matéria jornalística. Apenas algumas ponderações breves do Velhinho.

Não importa o resultado das urnas para a Presidência da República, os próximos dois anos serão cruciais para a nação.

Desde o fim do regime militar e, em especial, após a promulgação da atual Constituição, o que se chama de situação e oposição brincou de um denunciar traquinagens do outro e vice-versa. Nos últimos quatro anos os atores mudaram de papéis e aumentaram as traquinagens ou as denúncias.

Durante todos esses anos de democracia (tá certo, ainda não é a melhor, mas é a que temos) os que representavam o povo através dos Poderes constituídos, foram pródigos em criar facilidades, protecionismos e benesses para eles mesmos, contando com a Cornucópia da tributação. Uma burra que, segundo pensam nossos representantes, pode ser assaltada impunemente. Uma hora, o povo cansa de pagar e não ter a contrapartida adequada.

Enquanto a qualidade de vida de nossos representantes vai melhorando, a do povo, malgrado nosso, nem tanto. E aquilo que é obrigação do Estado (Saúde, Educação, Moradia, Transporte e Emprego, para dizer o básico) e que deveria ser cobrada com veemência pelos eleitores, vira fumaça colorida que mais serve como propaganda de prodígios deste ou daquele governante, sempre um pai da pátria, nunca encarada como o que realmente é: obrigação.

O que qualquer governo faz de bom para o povo e a nação não é nada além disso, obrigação. O de deixou de ser feito, aquilo que poderia ser feito e foi esquecido, engavetado, aquilo que deveria ser explicado e cobrado, vai para a próxima promessa de palanque.

Uma hora, o povo cansa de ser refém do Estado e dos governantes. A incompetência de nossos governantes tem limite.

Os próximos dois anos serão cruciais para a nação. Não há ilusões. Se a economia mundial sofrer um revés, passaremos por dificuldades sérias. Os gastos do governo estão imensos e sem a contrapartida adequada em prestação de serviços para a população. O Velhinho não acredita que nossos representantes abrirão mão de suas regalias, que se reduzirão despesas administrativas ou que haja recuperação de dinheiros perdidos por malversação do erário público no passado. Os impostos devem continuar altos, se não vierem a aumentar.

Há que se ficar atento a eventuais tentativas de reforma constitucional, fora dos caminhos previstos na própria Constituição. Se tal acontecer, mesmo que motivado por um plebiscito, algo de muito errado estará acontecendo com o que chamamos de Estado Democrático de Direito. Será a bancarrota da já combalida Justiça.

O Velhinho não irá prolongar mais suas observações. É hora de votar. E depois acompanhar, cobrar, exigir, e – sempre – se indignar com as traquinagens de nossos representantes. Nós os merecemos, pois os colocamos nas posições que ocupam. Mas isso não tira o nosso direito de críticar e não calar. Diz o antigo ditado popular: "quem cala, consente".

Que a democracia prevaleça e que minha visão, ao longo dos próximos dois anos, se mostre equivocada.

E que os deuses e deusas nos ajudem.

A baba da babá...

Da coluna de Claudio Humberto, na Folha de Londrina

''Se houver culpa, aí se terá consequências.''
Ministro Marco Aurélio, presidente do TSE, e o suposto envolvimento de Lula no dossiê
Ministério da beleza

No bloco A da Esplanada dos Ministérios, em Brasília, funcionários podem cuidar das madeixas ou fazer sessão de massagem relaxante ou estética. Durante o expediente. Aberto há um ano no subsolo do prédio que abriga quatro ministérios (Esporte, Cidades, Integração Racial e Desenvolvimento Agrário), o salão de beleza funciona das 9 às 17h. E teria sido criado a pedido do ex-ministro Luís Gushiken, até hoje um frequentador assíduo.
Comentário do Velhinho: Com direito a aplicação de botox, também?
Pára-choque
Lula acha que estará sempre sob a ameaça de impeachment, no segundo governo, por isso quer o aliado de fé Aldo Rebelo presidindo a Câmara.
Comentário do Velhinho: Desde que não se altere a Constituição por vias anormais, tudo bem, nada contra o Sr. Aldo.

Nova briga
O senador Jorge Bornhausen (SC) aposta no deputado Rodrigo Maia (RJ) como seu sucessor, na presidência nacional do PFL. Mas ACM quer vetar.
Reforma
O senador eleito no Rio de Janeiro, Francisco Dornelles, quer reformar seu futuro gabinete no Senado. A obra inclui até derrubada de paredes.
Comentário do Velhinho: Desde que os custos de tal reforma saia do seu salário de senador, tudo bem. A hora é de cortar gastos para reduzir impostos.

Pré-datado
O ex-chefe da Casa Civil de Blairo Maggi em Mato Grosso, Luiz Pagot, deve ser nomeado o novo diretor do DNIT no Estado. Aderiu a Lula, ganhou.
Usina de encrencas
Novo escândalo ronda a prefeitura petista de Nova Iguaçu (RJ), onde ''laranjas'' tiraram US$ 248 mil do dossiê: fraude com contracheques de servidores. A subsecretária de Recursos Humanos, Lídia Esteves, foi exonerada de forma ainda nebulosa. A Justiça investiga um suposto rombo nas contas. A prefeitura abriu inquérito.
Comentário do Velhinho: Ou nesse governo muito se investiga, ou o caráter de muitas pessoas que compõe/compuseram os quadros do PT é duvidoso. Como tem tranqueira e como se insiste em negar ignorância.

Nem pensar
Lula pediu ao deputado eleito Ciro Gomes (PSB) que o poupe de qualquer tentativa de aproximação com o presidente do PSDB, Tasso Jereissati.
Adesão
Ex-ministro de FHC, o deputado Eliseu Padilha (PMDB-RS) pode aderir ao governo Lula. Ele quer apenas a relatoria do Orçamento de 2008.
Partido puro
O PCdoB anuncia em novembro que não recorrerá a fusões para escapar da cláusula de barreira. Prefere formar blocos partidários no Congresso.
Fim da ESG
O ministro Waldir Pires (Defesa) tem conversado com cientistas políticos e intelectuais, no eixo Rio-São Paulo, sobre o que fazer com a velha Escola Superior de Guerra. Uma das alternativas é simplesmente fechar a ESG.
Comentário do Velhinho: E essas conversas não envolveram os comandantes das Forças Armadas? Que estranho...

Ninguém tasca
O coronel Tasso Jereissati privatizou o PSDB: só fica no partido quem ele quiser. Para tanto, decidiu recadastrar todos os filiados, só para rejeitar uma nova filiação do governador do Ceará, Lúcio Alcântara, seu desafeto.
Mordeu a língua
O ministro Márcio Thomas Bastos (Justiça) anda se queixando dele mesmo, que afirmou prematuramente que deixará o cargo, em um eventual segundo governo Lula. Isso fermentou a disputa pelo comando da Polícia Federal.
Pole position
O fechamento das urnas, hoje, será a largada da campanha presidencial do governador tucano de Minas, Aécio Neves, em 2010. Ele já marcou visitas a vários estados, a pretexto de ''analisar'' o resultado das urnas.
Comentário do Velhinho: Se partidos e eventuais candidatos tivessem essa diligência ao governar, talvez as coisas estivessem diferentes no País.

Sede ao pote
O relator do Orçamento 2007, senador Valdir Raupp (PMDB-RO), vem sendo pressionado a elevar de R$ 5 para R$ 7 milhões o valor de cada emenda parlamentar dos 513 deputados federais e 81 senadores.
Comentário do Velhinho: Deveria reduzir para R$ 3 milhôes, isso sim. A hora é de cortar gastos para reduzir impostos.
Efeméride

Após a posição ético-filosófica do governador eleito da Bahia, Jacques Wagner, sobre o direito de os petistas mentirem, uma data especial poderia virar o Dia do PT: Primeiro de Abril. Primeiro de Maio, nunca mais...
Comentário do Velhinho: Se algumas bocas se mantivessem mais fechadas que abertas em certas horas, e outras que se calam viessem a se abrir, muita coisa poderia agradar ao povo.
Macho man

O deputado eleito Clodovil (PST-SP) está à procura de um personal trainer para ajudá-lo a manter a forma, na temporada de Brasília. Clodovil visitou uma importante academia da Capital e pediu o currículo dos professores.
Maia avisou

Em 2005, o prefeito do Rio, César Maia, sugeriu que o PFL estudasse formas de neutralizar a força eleitoral de Lula no Nordeste, pois as eleições seriam ''decididas'' na região. Ninguém no partido lhe deu atenção.
Provérbios CH

Se a vida lhe oferecer um ''laranja'', faça uma bela trapalhada.
Pensando bem..
...neste domingo, dia de eleição, o Brasil decide se vai voar nos próximos quatro anos com ou sem transponder.

Comentário do Velhinho: Com ou sem, que os deuses nos protejam nesses próximos dois anos... não será fácil, não. Quem viver, verá.


28 outubro 2006

Como age a "zeliti"...
43 dias passados... e ainda sem presente...
E a caçamba...

Quem? O gordo?

Convém ler primeiro a matéria abaixo, para depois apreciar as colocações da coluna de Carlos Chagas, também da Tribuna de Imprensa On-line.

Deixem o gordo em paz

BRASÍLIA - Delfim Neto, ministro no governo Lula? Nem pensar. A hipótese surge inviável. Cotação zero para efetivar-se, tanto por decisão do ex-ministro quanto por dificuldades políticas. No entanto, soa como profunda estultice a argumentação de setores ironicamente ligados ao presidente Lula, uns, e ao neoliberalismo tucano, outros, de que Delfim não pode ser ministro "porque serviu à ditadura".

Saiu-se com descabido diagnóstico o sociólogo, nem tão perseguido assim pelo regime militar. Afinal, Fernando Henrique exilou-se por conta própria e voltou quando quis, para ganhar dinheiro da Fundação Ford, não propriamente adversária dos generais-presidentes, muito ao contrário. Dois dias atrás disse, acusando o ex-ministro de ter sido fotografado ao lado do alto comando do PT: "Delfim foi o algoz dos tempos da ditadura..." Aliás, monumental injustiça.

Entretanto, existem no PT os que fazem ouvidos moucos aos escândalos do mensalão e do dossiê, mas avançam palpites discriminatórios contra Delfim Neto, comicamente pelos mesmos motivos do "alto tucanato".

Leia mais aqui.

A corda...

Quem?

Esta matéria vem da coluna de Hélio Fernandes, de hoje, retirada do site Tribuna da Imprensa On-line:

Quem assumirá com Lula

Será o Ministério Quem-Quem, assim denominado pelo Duque de Caxias?

Evandro Lins e Silva era candidato à Academia na vaga de Bernardo Ellis. (Bernardo quando foi candidato não tinha a menor chance de ganhar. Patrocinado pela ditadura, conseguiram tirar 1 voto de Juscelino, que, praticamente eleito, perdeu com 19 votos, fato inédito e lamentadíssimo).

O grande criminalista e mais tarde jurista foi meu advogado (junto com o irmão, querido e saudoso Raul) de 1953 a 1961. Evandro foi para a chefia da Casa Civil de João Goulart, não pôde continuar nem deputado. Na véspera da eleição para a Academia, encontrei com Evandro, que estava com Tarcisio Padilha. (Fui grande amigo de seu pai, excelente figura na tribuna da Câmara e fora dela).

Disse para Evandro: "Puxa, ia te telefonar, tenho que te dar uma notícia RUIM e outra BOA". Evandro: "Me dê logo a notícia RUIM". E o repórter: "Você será eleito amanhã para a Academia, mas apenas com 20 votos, o mínimo necessário para a eleição". Os dois riram muito, Evandro perguntou: "E a notícia BOA?". Respondi: "Se você me autorizar, peço a um amigo para não votar em você no primeiro escrutínio (a palavra é da própria Academia), você ficará com 19 votos, no segundo terá mais de 30". No dia seguinte Evandro foi eleito com 20 votos.

Leia mais aqui.

Disco arranhado...(para quem se lembra dos discos de vinil)

Ainda a Amazônia brasileira...

Vejam como uma notícia pode ter vários ângulos de visão. A quem leu as postagens anteriores sobre o tema, recomendo a leitura.

MIRIAM LEITÃO – O Globo – 28/10/06 – Página 48

Clareira

Toda queda de desmatamento é bem-vinda, todo desmatamento é uma tragédia. Por isso, é preciso parcimônia em comemoração, desconfiança em relação aos números, sobriedade no anúncio. Esse é o tipo de notícia que não cai bem numa campanha eleitoral e não deve ser seguido da frase: “estamos ensinando como fazer as coisas corretas neste país”, dita pelo presidente Lula em mais um flagrante de confusão entre seu papel de presidente e sua ambição de candidato.

A ministra Marina Silva esteve recatada durante toda a campanha se comparada com o exibicionismo eleitoreiro de vários dos seus colegas. Ela tem conseguido unir pontas desgarradas do debate político brasileiro. Não precisava apressar o anúncio da queda do desmatamento para inscrevê-lo na interminável série “nunca antes na história deste país”.
A ministra disse que a queda do desmatamento significou que foram preservados um bilhão de árvores, a vida de quarenta milhões de aves e um milhão de primatas. Vendo o número pelo outro lado: como isso é o resultado da queda de 1/3 do desmatamento, pode-se dizer que dois bilhões de árvores foram derrubados e mortos 80 milhões de aves e dois milhões de primatas? — É a nova mentalidade de combater a ilegalidade — disse a ministra Marina Silva.

Leia mais aqui.
Ópera bufa...

Da coluna de Claudio Humberto, na Folha de Londrina

''Até quem doava por debaixo do pano esteve mais esperto em 2006.''
Ministro Marco Aurélio, presidente do TSE, acreditando no fim do ''caixa 2''

Cessna é caixa-preta
A Polícia Federal vigia um hangar no aeroporto de Atibaia (SP), onde estaria escondido o Cessna 210 que teria transportado o ex-assessor petista Hamilton Lacerda, o diretor da Vicatur Turismo Fernando Ribas e um ex-assessor do governo. De Atibaia pousou oficialmente no aeroporto Campo de Marte (SP), três dias antes da prisão da gangue do dossiê, após decolar clandestino de Nova Iguaçu (RJ), despistando controladores.
Comentário do Velhinho: E essa investigação não prevê a solicitação de um mandado de busca e apreensão? Ou não existe base legal para tanto?

Rabo de foguete
O avião usado pelo PT seria de um conhecido advogado de traficantes, que depôs na CPI do Narcotráfico. Se confirmado, o fato complica o governo.
Tráfego pesado
A ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) enquadrou os responsáveis da área: não quer saber de congestionamento de vôos no aeroporto de Brasília.
Esforço final
O deputado Aldo Rebelo pede votos hoje em Porto Alegre para Olívio Dutra (PT), o combalido, ao lado da deputada-gata Manuela D'Ávila (PCdoB).
Nada feito
O PV desistiu da fusão com o PSC para escapar da cláusula de barreira. Alega que Anthony Garotinho é quem manda no Partido Social Cristão.
Bijos, cidadão indignado
Autor da ação popular que tramita na 2 Vara Federal de Brasília, onde Lula figura como réu, o advogado Jairo Rodrigo Bijos explica suas razões: ''São R$ 12 milhões que eu quero que eles devolvam à Nação. É dinheiro do povo''. Ele se refere ao dinheiro que sumiu da Secretaria de Comunicação do Planalto para pagar cartilhas que nem sequer foram impressas.
Comentário do Velhinho: Aplausos ao exercício de cidadania. Resta saber se a Justiça se fará, ao fim e ao cabo do processo.

Big mensalão
Jairo Rodrigo Bijos, que processa Lula e mais vinte, incluindo o ex-ministro Luiz Gushiken, está indignado: ''Mensalão de R$ 12 milhões? Não pode''.
Perplexidade
O senador José Jorge (PFL-PE), vice de Alckmin, anda boquiaberto: ''As graves denúncias não colam em Lula, que mente e todo mundo acredita...''
Grupo coeso
O grupo do senador eleito Joaquim Roriz (PMDB-DF) tem grande chance de ser abrigada no Ministério dos Transportes, pretendida pelo ex-governador.
Mamata
O governo do Rio cedeu policiais e bombeiros ao Tribunal Regional do Trabalho para ''atividades militares''. Mas eles acabaram como serviçais particulares dos magistrados. O Tribunal de Contas da União investiga.
Roubada
Sem medo de ser feliz, o PT se aliou no Pará ao deputado Jader Barbalho (PMDB-PA), tantas vezes acusado de corrupção. No debate entre o tucano e a petista Ana Júlia, ele - digamos - roubou a cena: foi o tema principal.
É mais Slim
Estes dias, na sala de espera de um dentista, em São Paulo, o ex-ministro José Dirceu surpreendeu informando a um interlocutor, ao celular, que não votará em Lula, amanhã, porque viajaria ao México. Pegadinha?
Dinheiro-pirata
O procurador-geral do Paraguai, Sérgio Alegre, pediu ajuda à Polícia Federal do Brasil para esclarecer o roubo de US$ 2,5 milhões do seu Banco Central. ''Piratas'' teriam atacado o navio Aliança Mauá no porto de Santos.
Porta aberta
A agência Vicatur, onde ''laranjas'' do dossiê anti-Serra tiraram US$ 248 mil, parece instalada na Suécia, não em Nova Iguaçu, na violenta Baixada Fluminense. Trocar dólares no Rio, por exemplo, exige entrar num bunker.
Clone
Entre marqueteiros, feio é perder: em 1994, Duda Mendonça criou para a dupla suprapartidária o slogan ''Jutahy (PSDB) aqui, Lula (PT) lá''. Agora, André Torreta tascou ''Roseana (PFL) aqui, Lula (PT) lá'', no Maranhão.
Terminal
Faz um mês que o ditador cubano Fidel Castro desapareceu de fotos e vídeos na imprensa: sites de oposição garantem que, canceroso, está em coma, com possível AVC, que afetou a fala e os movimentos.
Com ele, não
Foi em festa de despedida numa churrascaria do Rio, e não no gabinete do vereador Brizola Neto (PDT-RJ), o barraco entre assessor especial com funcionário de baixo escalão. Brizola se elegeu deputado federal.
Pensando bem...
...Alckmin deve estar rezando hoje a São Judas Tadeu, dia do santo das causas impossíveis.

27 outubro 2006

Enquanto isso na barbearia (ainda tem disso?)
42 dias! Será que isso só será desvendo na segunda-feira, dia 30, quando completar 45 dias? 45? Epa!
Até o último alento...

É para rir ou para chorar?

A irresponsabilidade de alguns governantes pode levar a ataque histérico de riso ou a choro convulsivo de ódio. Vejam esta agora, retirada do Estadão On-line:

27 de outubro de 2006 - 02:36

Prefeito sugere empréstimo bancário no lugar de salário

Prefeitura de Carapicuíba alega não ter verba para pagar funcionários

Ricardo Valota

SÃO PAULO - Alegando falta de dinheiro para pagar os funcionários públicos, o prefeito de Carapicuíba, na Grande São Paulo, pediu aos profissionais da educação que efetuassem empréstimo pessoal.

Os professores de educação infantil da rede municipal da cidade se reuniram na quinta-feira em assembléia com a Associação de Professores do Estado de São Paulo (Apeoesp) para definir quais medidas tomariam contra a Prefeitura.

Os funcionários ainda não receberam o salário do mês de setembro e, segundo eles, o prefeito da cidade, Fuad Gabriel Chucre, do PSDB, afirmou que não tem condições de pagar os meses de outubro e novembro. Por essa razão, solicitou que todos os professores fizessem um empréstimo pessoal nos bancos Santander Banespa ou Banco do Brasil da cidade para futuro ressarcimento, sem previsão de data.

Todos os funcionários foram dispensados mais cedo para ir ao banco efetuar o empréstimo pessoal. Indignados, os professores se recusaram a assinar qualquer documento sem a garantia de ressarcimento da prefeitura. Sem um pronunciamento da prefeitura, os professores prometem entrar em greve a partir do dia 31 deste mês.

Comentário do Velhinho: Ou o prefeito contrai empréstimo em nome da prefeitura, ou em seu próprio nome num gesto de magnanimidade. Sugerir que o funcionalismo público contraia empréstimos pessoais para compensar a falta de pagamento é uma aberração que mereceria atenção dos Tribunais de Contas competentes e, quiçá, a proposição de um pedido de impedimento. Se a moda pega...

E durma-se com um barulho desses...

Exorcismo tupiniquim
Confiar em Evito? Ah!

Confiança, no conceito do Velhinho, é algo que pode ser duramente conquistada ao longo do tempo e pelo exemplo dado. Mas para se perder, basta um átimo de segundo e um passo em falso. Ou um mau exemplo...

Diante dos exemplos dado pelo estadista Evo Morales, o Velhinho não adquiriu confiança nem em suas palavras, nem em suas intenções. Parece que, enquanto estadista, ora diz uma coisa, ora diz o contrário, ora tergiversa, ora ataca na jugular, ora sabe das coisas, ora não sabe. Políticos desse naipe, para o Velhinho, não são confiáveis. Sorte que no Brasil não existem políticos assim, certo?

A matéria é do Estadão On-line:

Evo defende nacionalização do gás com pagamento de bônus

Nos bastidores, Brasil e Bolívia tentam costurar um acordo parcial. Mas, oficialmente, os dois governos permanecem "duros" nas negociações

Marina Guimarães, Denise Madieño e Leonardo Goy

SÃO PAULO - A "data fatal" prevista pelo governo boliviano para a adequação das companhias estrangeiras aos termos do decreto de nacionalização dos setores de gás e petróleo termina em dois dias - no sábado, dia 28. Nos bastidores, tanto o governo boliviano quanto o brasileiro vêm dando sinais de que chegarão a um acordo parcial até esta data e, diante disso, nenhuma posição mais drástica será tomada. Contudo, algumas demonstrações dos dois governos não deixam tão clara esta posição. Ou, pelo menos, apontam que as negociações não serão tão fáceis.

Leia mais aqui.