Você pode denunciar crimes de PRECONCEITO RELIGIOSO no Rio de Janeiro

Você sofre agressão, perseguição, coação ou qualquer ameaça por motivo religioso?

Denuncie através do site http://www.policiacivil.rj.gov.br na aba "DENÚNCIA"

Não é preciso se identificar!

A Constituição da República Federativa do Brasil determina, em seu Art. 5º, inciso VI: "É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e suas liturgias"

Seja Cidadão, defendendo seus direitos! Denuncie crimes de preconceito religioso!

Você também é uma vítima da CORRUPÇÃO!
Lembre-se disso nas próximas eleições...

31 maio 2014

Ah, Vá! Quer dizer que o mensalão do PT não foi de interesse de toda a sociedade?!?!?


As palavras fazem sentido e neste texto do portal IG existem sentenças com as quais o Velhinho não concorda.
O Velhinho postará o texto e comentará alguns trechos destacados em negrito.

Aposentadoria de Joaquim Barbosa encerra 'julgamento de exceções' no STF
Por Wilson Lima , iG Brasília | 31/05/2014

Legado de Barbosa à frente do Supremo foi o julgamento da AP 470, conforme especialistas. Agora, desafio é trazer a Corte para julgar ações de interesse de toda a sociedade.
Comentário do Velhinho: Dá a entender que o desvio de verbas públicas, a distribuição de "recursos financeiros não contabilizados" e feita com dinheiro público, as maracutaias que resultaram na AP 470 não eram de interesse da sociedade, que poderia ficar ignorante do assunto.

Durante pouco mais de um ano e meio à frente do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Joaquim Barbosa se notabilizou pela rigidez com que conduziu ações penais, como a do mensalão.
Comentário do Velhinho: A que se ressaltar que tal rigidez sempre esteve dentro dos preceitos Constitucionais e legais. E quais outras ações penais atuou Barbosa como presidente do Supremo?. A matéria dá a impressão que a rigidez além de excepcional, foi de exceção.

No entanto, a demonstração de que políticos também podem ser condenados e presos trouxe um efeito colateral: a Suprema Corte brasileira, na era Barbosa, deixou de lado a sua vocação constitucional - julgar casos de grande alcance social.
Comentário do Velhinho: Não por questão de gosto, mas sim de direitos dos acusados.

Especialistas ouvidos pelo iG apontam como grande legado de Barbosa o julgamento da Ação Penal 470, o chamado mensalão, que demandou mais de 60 sessões no Supremo Tribunal Federal e colocou na cadeia políticos da estirpe do ex-presidente do PT José Genoino, do ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu e do ex-presidente da Câmara dos Deputados João Paulo Cunha. O julgamento, considerado até hoje como um “ponto fora da curva” no Supremo, conforme especialistas, diminuiu a sensação de impunidade no Brasil.
Comentário do Velhinho: Estirpe? Ou laia, que tem o mesmo sentido?

O doutor em Direito Constitucional e professor da Universidade de Brasília (UNB), Cristiano Paixão, afirma que Barbosa, nesse um ano e meio como presidente do Supremo, transformou a Corte em um tribunal penal, função que até então era considerada acessória no sistema jurídico brasileiro. 
Comentário do Velhinho: Não foi bem isso que o Dr. Cristiano disse. Existe diferença entre afirmar que o ministro Barbosa transformou a Corte em um tribunal penal e o que realmente disse o Dr. Cristiano; afinal de contas, em função dos envolvidos e dentro das prerrogativas do STF não houve nada de irregular. Disse o Dr. Cristiano:

“O julgamento da Ação Penal 470 deveria ser uma exceção. O STF é um tribunal feito para efetivar a Constituição, ser uma corte de vanguarda em uma ideia de garantia de direitos fundamentais”, disse Paixão. “Eu acho que o STF tem um grande desafio que é se reafirmar como corte constitucional. O STF ficou muito tempo no processo do mensalão e isso deu ao STF a dimensão de um tribunal penal. Mas o STF não é um tribunal penal”, complementou.
Comentário do Velhinho: Dr. Cristiano é claro que o tempo do processo deu ao STF a dimensão de um tribunal penal, contudo se deve salientar que ritos processuais não poderiam ser atropelados, sob risco de se prejudicar a ampla defesa dos réus. Além do que, o ministro Ricardo Lewandowski demorou SEIS MESES para fazer a revisão do processo do mensalão, também de acordo com o rito processual. A responsabilidade pela demora não é exclusiva do ministro Barbosa.

O especialista em Direito Constitucional e membro consultor da Comissão Nacional de Estudos Constitucionais da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Rodrigo Lago, declarou que durante a gestão Barbosa o Supremo viveu “um ponto fora da curva”, parafraseando artigo do ministro Luís Roberto Barroso, escrito quando ele ainda estava fora da Corte.
Para Lago, a tendência é que a Corte agora, sem Barbosa, adote uma postura ainda mais garantista. O garantismo é um princípio jurídico que se configura em decisões que observam as bases da Constituição, com a preservação de garantias e direitos individuais e que respeitam a harmonia e independência entre Legislativo, Executivo e Judiciário.
Esse retorno ao garantismo foi iniciado com a entrada do ministro Teori Zavascki no final de 2012, intensificado no ano passado após a chegada de Barroso e agora deve ter um desfecho com a saída de Barbosa. “Com a saída de Barbosa, o Tribunal deve retomar essa aposição mais garantista sem maiores dificuldades ou maiores traumas. A saída dele da Corte facilita com que o STF retome o ponto que estava fora da curva”, analisa.
Comentário do Velhinho: Ué? Por acaso, antes dessas preclaras figuras se tornarem ministros do STF, a instituição não tinha esse caráter garantista? Tenha dó, senhor!

Para o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Ayres Britto, Barbosa personificou a independência e honestidade exigida de um ministro do Supremo. “Esses três são os principais legados (de Barbosa): independência, desassombro (coragem) e honestidade”, disse Britto ao iG. “Do ponto de vista funcional, o marco da trajetória, o marco mais expressivo do desempenho dele no Supremo é a AP 470, em que ele atuou como um relator devotado, estudioso e persistente”, analisou o ex-ministro e hoje palestrante.
Na própria Corte, colegas como o ministro Marco Aurélio Mello apontam a AP 470 como o marco da atuação de Barbosa à frente do Supremo. Mas eles tem dificuldades em apontar outros casos importantes julgados pelo Supremo na era Barbosa.
Comentário do Velhinho: O ministro Joaquim Barbosa foi indicado por Lula em 2003. Quer saber em quantos casos importante o ministro atuou? Consulte a página do STF e veja os registro, ora bolas! Se tiver preguiça, tente a wikipédia.

01 maio 2014

SOMOS TODOS PALHAÇOS!


Outro dia escrevi no comentário de uma postagem do facebook que existe um projeto de poder para transformar o Brasil numa " 'república condoreira pragmática' onde os grupos minoritários (eles ainda não se deram conta!) só interessam enquanto úteis ao projeto de poder (antigamente se chamava "massa de manobra") e onde liberdade de expressão e pensamento só têm validade se for a favor, nunca contra. Aliás, os contra não devem apenas ser calados, mas intimidados, quando não eliminados (metafórica ou literalmente), mesmo quando nascem em suas próprias hostes."
Hoje tenho o seguinte quod erat demonstrandum, através de uma matéria da Folha de São Paulo que abaixo transcrevo, com observações do Velhinho.

Por Marina Dias, na Folha:
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou ontem em Santo André (SP) as manifestações contra a Copa, que cresceram nos últimos meses, e disse que nem ele nem a presidente Dilma Rousseff têm medo de protestos.
“Vocês imaginam, nesta altura do campeonato, com 68 anos, dos quais 38 fazendo protesto, eu vou ter medo de protesto? A Dilma, com 20 anos a bichinha estava presa, foi torturada, tomou choque para tudo quanto é lado por protestar. Agora ela vai ter medo de protesto? Quem quiser protestar, que proteste”, disse o ex-presidente. Lula saiu em defesa dos gastos com a Copa: “Se eu ficar dizendo que não pode ter [Copa] porque tem criança na rua, porque não tem escola para todo mundo, nós não vamos fazer nada”, afirmou. Ele disse que é preciso compreender, sobre o evento, que “não se trata de dinheiro”, mas de um momento em que o Brasil “precisa mostrar a sua cara do jeito que é”.
Comentário do Velhinho: Este é o ex-presidente exercitando seu pragmatismo e dando uma banana para nós, os palhaços. Como muitos não concordam com o que ele e o partido dizem, bem, só podemos estar errados, não?
“O que nós temos que compreender é que uma Copa do Mundo não se trata de dinheiro, de quanto vai entrar. Vejo as pessoas tentando justificar [as críticas à realização do mundial], falando que vai entrar R$ 2 bilhões, R$ 3 bilhões, R$ 4 bilhões, mas não importa quanto vai entrar. A Copa do Mundo é um estado, é um momento de encontro de civilizações em que o Brasil tem que mostrar a sua cara do jeito que é”.

Comentário do Velhinho: Pois é. Nas justificativas para a realização da Copa no Brasil sempre se tratou de DINHEIRO, seja no que se investiria em INFRAESTRUTURA para o evento e que depois restaria para usufruto da população (aquele papo de obras de mobilidade urbana, lembram? Cadê?), seja no retorno financeiro que a Copa traria (esqueceram de dizer retorno financeiro PARA QUEM), seja ainda na criação de empregos formais (além da mão de obra empregada para se construir estádios - a mesma que poderia se utilizada realmente em infraestrutura, caso a dinheirama destinada para a Copa fosse revertida para, digamos, saneamento básico, criação de hospitais, creches, escolas, melhoria de rodovias, transportes, et coetera). Como assim, "não se trata de dinheiro", "não importa quanto vai entrar"? É o nosso dinheiro, advindo da tributação escorchante que padecemos! Mas esse é o espírito pragmático condoreiro que permeia o pensamento do ex-presidente e do SEU partido. Quem não concorda, simplesmente é desqualificado, por não PENSAR IGUAL!
Quanto à insinuação de que "o Brasil tem que mostrar a sua cara do jeito que é", bem...





13 dezembro 2012

Depois do trem-bala, a nova promessa sem prazo para cumprir do governo petista...


Dilma quer ligar todas cidades médias ou grandes com aeroportos regionais
BERNARDO MELLO FRANCO - ENVIADO ESPECIAL A PARIS
A presidente Dilma Rousseff anunciou nesta quarta-feira (12), em Paris, que o governo pretende construir 800 aeroportos regionais no Brasil nos próximos anos.
Em encontro com empresários franceses, a presidente afirmou que a meta do Planalto é ligar todas as cidades médias ou grandes a um terminal próximo.
"Queremos que as cidades com mais de 100 mil habitantes tenham aeroportos no máximo a 60 quilômetros [de distância]. Pretendemos ter um programa de aviação regional muito forte", disse.
Segundo Dilma, o país tem dimensões continentais e enfrenta um gargalo de infraestrutura. "Os números no Brasil geralmente são muito grandes. Nós pretendemos fazer 800 ou mais aeroportos".
A presidente não especificou o volume de investimentos que deve ser destinado para o programa. Indicou apenas que o governo usará recursos de novas outorgas de grandes aeroportos para o esforço previsto na aviação regional.
Ela afirmou ainda que pretende continuar a licitar grandes terminais para a iniciativa privada, mantendo a Infrarero com 49% do controle acionário.
A presidente reiterou a intenção de reproduzir nas novas concessões o modelo já adotado em Viracopos, Guarulhos e Brasília, com a ressalva de uma exigência maior em relação à experiência das empresas interessadas.
Ainda no setor de infraestrutura, Dilma prometeu unificar os órgãos que atuam nos portos e prometeu fazer em 2013 todas as licitações planejadas no setor de ferrovias.

18 novembro 2012

Cadê a porra do Desarmamento... dos bandidos???

Lembram do plebiscito do Desarmamento? Pois então... Só vale desarmar a população de bem, praticamente a impedindo de adquirir legalmente uma arma de fogo para se defender diante do lixo de Segurança Pública existente no Brasil, mas NINGUÉM desarma os bandidos, nem os impede de adquirir armas (inclusive privativas das Forças Armadas!) ilegalmente. Brasil: um país de tolos!

14 novembro 2012

Pagando o quinhão de cada um...


Na postagem anterior escrevi: "Como o objetivo era a perpetuação no poder de um determinado partido político, caso a tramoia viesse a se concretizar receberiam, mais cedo ou mais tarde, o seu quinhão". Pois então, mesmo a tramoia não se concretizando ainda, já se paga pelo esforço realizado. Sem contar que os estatutos do PT determinam que membros condenados na última instância da Justiça sejam expulsos. Lorota, estes condenados não serão expulsos...
14/11/2012 - 4:33
PT estuda ‘caixinha’ para pagar multas de réus
Josias de Souza

O PT cogita organizar uma ‘vaquinha’ para pagar as multas que o STF impôs aos três condenados da legenda no julgamento do mensalão. Coisa de R$ 1,46 milhão -R$ 676 mil para José Dirceu, R$ 468 mil para José Genoino e R$ 325 para Delúbio Soares.
A repórter Tatiana Farah informa que a idéia do partido é constituir um “fundo solidário” a partir de doações feitas por militantes e simpatizantes. O dinheiro fluiria à margem do caixa partidário, já que a lei não permite aos partidos pagar senão suas próprias multas.
“Se precisar fazer um fundo solidário, o PT vai fazer”, diz Marco Aurélio de Carvalho, coordenador jurídico da legenda. “Mas ainda é possível reverter as multas com os recursos legais que os réus impetrarão no STF”, ele acrescenta, com uma ponta de otimismo.
Membro do diretório nacional do PT, Paulo Frateschi puxa a fila. Deseja ser “o primeiro” a abrir o bolso. “Acredito que todos os dirigentes vão contribuir com o fundo solidário. É o único caminho para ajudar.”
A solidariedade do PT é compreensível. Condenados como pessoas físicas, Dirceu, Genoino e Delúbio compareceram ao escândalo como prepostos da pessoa jurídica. Uma mão lava a outra. O resto continua sujo. A mácula não é algo que o dinheiro possa apagar.

13 novembro 2012

Melhor pesar a mão...


Aparentemente por conta das condenações da Ação Penal 470, conhecida por mensalão do PT, começaram a se destacar opiniões quanto a aplicação de penas privativas de liberdade, onde se advoga de que tais penas somente deveriam ser aplicadas para condenados "perigosos", ao passo que aos "não perigosos" seria recomendado a aplicação das penas restritivas de direitos, como a prestação de serviços à comunidade e a interdição temporária de direitos.
Tudo muito bem, tudo muito bom. Mas qual o sentido que devemos dar a essas qualificações de "perigoso" e "não perigoso"?
Perigoso por atentar contra a vida de um indivíduo ou grupo social? Perigoso por conta da violência potencial ou de fato do condenado?

No caso das pessoas envolvidas e condenadas na Ação Penal 470, onde se comprovou ter havido desvio de dinheiro público, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, considerando ainda que envolveu um ministro de Estado, um presidente de partido político (que já fez dois presidentes da República, o primeiro deles no mandato quando da denúncia do mensalão, cujo ministro de Estado era e é figura de primeira linha dentro daquele partido político) e o tesoureiro do mesmo partido, como deixar de considerar perigosos seus atos criminosos para a Nação, para a Democracia e para as Instituições? Como deixar de considerar os condenados perigosos avaliando o impacto que suas ações tiveram na destinação de verbas e políticas públicas, que afetam a toda a população brasileira?
Esses condenados ou qualquer outro que no futuro venha a ser condenado por crimes semelhantes contra o Estado Democrático e de Direito, são todos perigosos sim! Tanto os que corrompem como os corrompidos não são pessoas quaisquer, nem de menor importância na política brasileira, sabiam o que estavam fazendo e que estavam errados. Por isso são perigosos, mesmo que aleguem não haver recebido nenhuma benesse ou enriquecido com suas ações. Como o objetivo era a perpetuação no poder de um determinado partido político, caso a tramoia viesse a se concretizar receberiam, mais cedo ou mais tarde, o seu quinhão. Defender o contrário, a meu ver, se trata de credulidade exacerbada beirando um Efeito Poliana...

08 novembro 2012

O Velhinho é CONTRA a descriminalização da Maconha...


Pode demorar, mas ainda não falha...
Por ser contra, por acreditar que usuário de maconha sustenta o trafico de drogas (e não apenas da maconha!), o Velhinho continua a postar as "pequenas" apreensões desse lixo feitas pelos órgãos policiais. Só para se ter uma idéia, EM TONELADAS, do poder "recreativo" e "medicinal" da maconha em nosso país.
Pode demorar alguns dias, talvez, poucas semanas, mas não falha. Quando o uso "recreativo e medicial" da maconha sensibiliza traficantes, eles nem pensam na grana dos usuários que sustenta o narcotráfico, não é mesmo?
Como as drogas de uso "recreativo e medicinal" não se resumem à maconha, a matéria abaixo demonstra a equação aritmética onde maconha, drogas ilegais, armas, traficantes e drogadictos (além dos apologistas da liberação da maconha) são elementos interdependentes e complementares.
Polícia apreende 2 toneladas de maconha em Santa Cruz do Rio Pardo
Do G1 Bauru e Marília

A Polícia Rodoviária apreende 2 toneladas e 446 quilos de maconha durante fiscalização de rotina na Rodovia Engenheiro João Baptista Cabral Rennó em Santa Cruz do Rio Pardo (SP). O flagrante aconteceu por volta das 20 horas da quarta-feira (7).
A droga, dividida em vários tijolos, estava escondida entre sacos de farinha de milho na carroceria de um caminha com placas de Betim, Minas Gerais.
“O motorista foi parado na base policial, e os oficiais desconfiaram do nervosismo dele, por isso decidiram fazer uma vistoria na carga”, explicou o sargento Márcio Roni Miranda, da Polícia Rodoviária. O motorista foi preso em flagrante e encaminhado para Cadeia Pública de São Pedro do Turvo.

01 novembro 2012

A triste piada da ANATEL...


Anatel exige 20% da velocidade da internet a partir de hoje; veja como medir

A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) passa a exigir a partir desta quinta-feira que as empresas entreguem, no mínimo, 20% da velocidade contratada pelos usuários de internet.
A Anatel indica o site Brasil Banda Larga para que os clientes façam testes do serviço que contrataram e vejam se estão recebendo a velocidade exigida.
A ação faz parte de uma ofensiva da agência para melhorar a qualidade dos serviços de banda larga no país.
Além de aumentar a exigência, a Anatel está realizando um mapeamento da qualidade da banda larga em todo o Brasil.
As medições permitirão a avaliação das prestadoras com mais de 50 mil acessos. São elas: Oi, NET, Vivo, GVT, CTBC, Embratel, Sercomtel e Cabo Telecom.
Na segunda-feira (29), a agência começou a enviar os aparelhos para medição da qualidade da banda larga fixa para usuários de Goiás, Distrito Federal, Pernambuco, Ceará, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná.
Os primeiros a receber os equipamentos --batizados de whitebox-- foram os voluntários do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Minas Gerais, Estados com o maior número de inscritos no programa que já realizaram o teste de velocidade.
Com as medições, a Anatel reunirá informações para a adoção de medidas que permitam a progressiva melhoria do serviço. Ainda há necessidade de voluntários em todos os Estados.
Quem não for escolhido agora poderá ser sorteado em uma próxima etapa do projeto, já que, anualmente, haverá renovação de 25% da base de voluntários.

Comentário do Velhinho: Segundo o site da Anatel, a missão dessa agência reguladora é "promover o desenvolvimento das telecomunicações do País de modo a dotá-lo de uma moderna e eficiente infra-estrutura de telecomunicações, capaz de oferecer à sociedade serviços adequados, diversificados e a preços justos, em todo o território nacional".
Ora, preço justo é quando pagamos R$ 2,00 por uma dúzia de bananas e recebemos... UMA DÚZIA DE BANANAS! Deixa de ser justo de recebermos apenas 2,4 bananas pelo preço da dúzia!
Preço justo é quando pagamos o valor correspondente a 100 Kwh e usamos... 100 Kwh! Deixa de ser justo quando usamos 20 Kwh e pagamos pelo preço de 100!
Preço justo é quando contratamos um pintor por R$ 300,00 (como exemplo) para pintar 20 m2 de parede e ele pinta... 20 m2! Deixa de ser justo se ele pintar apenas 4 m2!
Já a ANATEL, que tem como missão garantir um preço justo para o serviço de telefonia e internet, acredita ser correto que o consumidor pague para as empresas que fornecem internet 100% do valor da velocidade contratada, mas que recebam - no mínimo! - 20% dela! Não é gracioso?
Será que não existe tecnologia que informe, como nas contas telefônicas, qual foi a real velocidade fornecida e que o consumidor pague exatamente o que recebeu, independente do limite máximo contratado?
Brasil! Um país de tolos!

A estratégia petralha que todos conhecemos...


A arrogância de Cardozo na campanha eleitoral antecipada. Ou: Por que o ministro não leva para presídios federais 1.600 presos que não deveriam estar em SP? Respondo: porque ele não tem onde colocá-los

A arrogância, que avançou para a falta de educação, de José Eduardo Cardozo, ministro da Justiça, não tem limites. Está comprovado por A mais B: o governo federal criou uma farsa — a suposta oferta de ajuda ao governo de São Paulo, que a teria recusado, na área de segurança. Como Cardozo ganhou reportagens escancaradamente favoráveis no “Jornal Hoje” e no “Jornal Nacional” (não vi as do SPTV), então insiste na falseta. Quem apanhou foi o secretário de Segurança, Antonio Ferreira Pinto, que fala a verdade. Aquele que não consegue provar o que diz saiu-se como sensato. Aquele que tem os fatos a seu favor foi tratado como falastrão. Parece que está em curso a construção de uma nova moral, que poderia ser assim sintetizada: os fatos que se danem!
Clique aqui para ler a íntegra.

31 outubro 2012

Coisas para se esclarecer sobre a Segurança Pública de São Paulo e a "ajuda" do Governo Federal...


SEGURANÇA – Governo de SP tem a prova de que pediu a colaboração do Planalto e é tratado como mentiroso em certa imprensa; Cardozo, que não tem como provar a acusação feita a SP, é tratado como fonte da verdade. O nome disso é campanha eleitoral antecipada

Espalhem este post, para debate, os que repudiam a manipulação, a mentira e o desassombro do que querem usar a vida e a segurança dos paulistas como instrumento de guerrilha eleitoral.

Vejam esta primeira página de um ofício datado de 29 de junho de 2012. Nele, o secretário de Segurança Pública de São Paulo, Antônio Ferreira Pinto, pede a colaboração do governo federal para a implementação de alguns programas. Não recebeu resposta nenhuma! Ou melhor: recebeu! Na Folha do dia 29 deste mês, José Eduardo Cardozo, com grosseria ímpar, mandou ver: “O governo federal não é a Cada da Moeda”. Clique aqui para ler mais.

Cena que se repete após cada eleição...


Na cidade de São Paulo, nem chegou a completar uma semana para o candidato eleito empurrar com a barriga para 2014 as promessas do fim da taxa de inspeção veicular e da implantação do Bilhete Único Mensal. 
Aí, o pragmático dirá: "Mas todos os políticos mentem nas promessas"...
Ao que o Velhinho responde: "Então os eleitores somos tolos, ou nos falta vergonha na cara por eleger mentirosos"...